quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Educando um filho homem para um mundo mais justo com as mulheres


Educando um filho homem para um mundo mais justo com as mulheres

8 qualidades a despertar em um filho homem para um mundo mais justo com as mulheres
Qualidades essenciais que tanto mães quanto pais devem ensinar a um filho homem para que ele cresça um homen honrado e digno.

Criar um filho exige mais do que dar de comer, passar algum tempo brincando e incentivá-lo nos estudos. Há muito mais que precisamos ensiná-los, principalmente aos filhos homens, para que se tornem homens de valor e sejam homens com H maiúsculo.
Tudo isso também precisa ser ensinado às filhas, mas é bom salientar que como mães e pais, precisamos ensinar os homens e dar o exemplo para homens, tanto quanto mulheres, possam respeitar suas famílias no futuro. Respondendo a muitos emails de mães sozinhas, essas dicas podem ajudar.
1. Desenvolvendo o raciocínio
Para tirar o máximo proveito da relação mãe-filho e ensiná-lo a desenvolver seu raciocínio, nada melhor que estabelecer uma rotina saudável de atividades pedagógicas e construtivas. Jogos como charadas, tabuleiro, artes, esportes, cozinhar, procurar por bichinhos e insetos, caça ao tesouro, coleções de pedras ajudam e muito na conexão mãe e filho.
2. Ensinando socialização
Hoje em dia temos professoras nas escolas primárias, em sua grande maioria mulheres, mas as mães são a principal fonte de aprendizado dos garotos a se socializarem, a construir e manter amizades.
3. Estabelecendo limites
Uma análise de mais de 60 estudos com aproximadamente 6.000 crianças, concluiu que garotos que possuem uma relação insegura com suas mães apresentaram mau comportamento nos primeiros anos da escola. Garotos precisam ver a força e firmeza das mães enquanto estão sendo disciplinados. Isso não significa espancamento ou crueldade, mas amor e firmeza, lealdade e força nas palavras e ações, bem como exigindo o respeito como parte do aprendizado.
4. Crescendo em autocontrole
Um garoto precisa que sua mãe o ensine como controlar seus impulsos, com diferentes estratégias que servirão para toda sua vida.
5. Reconhecendo suas qualidades
Todo garoto precisa de pais como a mãe de Albert Einstein. Uma professora disse a Pauline Einstein que seu filho era devagar, antissocial e que vivia no mundo da lua, ou seja, infelizmente não reconhecia os talentos de Albert. Sua mãe conhecia seus atributos e qualidades especiais e foi atrás de alguém que a entendesse.
6. Ensinando a ter visão
Muitos meninos tendem a viver o momento e possuem dificuldade em imaginar o futuro. Jogos como xadrez e outros de estratégia, bem como planejamento para faculdade ajudam os garotos a pensarem adiante, a verem a grande figura, ao invés de detalhes não importantes.
7. Criando responsabilidades
Os pais precisam ensinar e dar o exemplo aos garotos a ter iniciativa, ser responsável pelas ações, mesmo em casa, desde pequeninos, para resolver situações simples e complexas; e manter a palavra e entender o princípio da honra.
8. Aproveitando a vida de menino
Pais, deixem que seus guris aproveitem e tenham aventuras, se sujem e façam muito esporte. Que participem de times, que subam em árvores, que façam o que gostam e sejam quem são. Tenham certeza também de ensinar as coisas simples, as necessidades de colaboração dentro do lar, pois ele irá precisar, seja pela necessidade de morar sozinho, ou quando for marido e pai.
Não há dúvidas que ambos os pais devem se dedicar a educar um filho da melhor forma, e que a responsabilidade não é apenas da mãe. Mas notem que cada um ensina, principalmente através do exemplo, certas qualidades à criança. Tenha certeza de não perder o privilégio, como mãe, de ensinar a um homem, como ele deve respeitar e servir as mulheres, quebrando o ciclo de maus-tratos e abandono que vemos todos os dias.
Pais que respeitam a energia de seus filhos, criatividade, cabeça fresca, sensibilidade, jeito próprio de aprender, necessidade de movimento, personalidade aventureira, estarão ensinando-os a apreciar a si mesmos e sua masculinidade, e também ajudando a criar um mundo melhor para as filhas de Deus, que merecem o melhor. Aproveite seu companheiro.


¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -  Hermínio  Miranda C. A. Ayres Website: http://caayres.com/
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Faces da caridade


Faces da caridade

Corria o ano de 1973. A inglesa Sue Westhead tinha vinte e cinco anos quando foi diagnosticada com insuficiência renal. A única maneira de sobreviver era receber um transplante de rim.
Sua mãe, que contava à época cinquenta e sete anos, não hesitou em oferecer o seu rim à filha. A operação ocorreu no Hospital Royal Victoria, em Newcastle, Inglaterra.
Imediatamente, recuperei um aspecto saudável e a cor de pele rosada, recorda a britânica Sue.
Todavia, as perspectivas médicas eram pouco otimistas. As técnicas de transplante ainda não eram tão sofisticadas quanto hoje e aquele era um rim de mais de meio século.
Entretanto, Sue desafiou todas as previsões médicas sobre a duração do órgão e acerca da vida que teria após o transplante.
Atualmente, com sessenta e oito anos, Sue vive no condado de Durham, no norte da Inglaterra.
Embora há muitos anos tome medicação que evita rejeição ao órgão transplantado, tem uma excelente saúde. O rim que sua mãe lhe cedeu conta mais de cem anos
A britânica afirma crer que a sua longevidade pode ser atribuída, além da excelente saúde de sua mãe, ao amor através do qual, prontamente, ela lhe ofertou o órgão saudável.
Lembro que, naquela época, pensei: Se eu viver por mais cinco anos, serei feliz. Isso foi há quarenta e três anos e o meu rim completará cento e um anos, em novembro de 2016. Estou viva graças à minha mãe, que me deu a vida por duas vezes,comemora Sue.

Pense com Edu
Em nosso meio, somos muitos os que doamos alimentos, ajudamos entidades assistenciais, ocupamo-nos com trabalhos voluntários. É certo que esses são gestos de caridade, que é o amor em ação.
Todavia, trata-se apenas de algumas das faces da caridade. Antes de colocarmos nossas mãos a serviço dos que caminham conosco, alimentando-os, vestindo-os, coloquemos o nosso Espírito com disposição ao perdão, à luta por vencermos nossas más tendências, à conquista da fé.
Dessa forma, iluminamos os gestos de caridade material que devem acontecer como consequência da caridade moral que praticamos para nós mesmos e para o próximo. Caridade é doação, desprendimento. Quando nos doamos, de forma integral, a nossa ação é de caridade.
Quando pensamos antes no outro do que em nós mesmos, isso é o verdadeiro amor em ação. É a face radiosa da caridade.

Finalizando para Recomeçar
Nobre é providenciar o pão aos esfomeados. Contudo, precisamos verificar se esses mesmos não sentem fome de perdão, de humildade, de busca pela verdade.
Portanto, ofertemos o pão e o agasalho. Também nosso tempo, o auxílio, com nosso próprio coração.
Assim, de um prato de comida até o órgão que, porventura, destinarmos àquele que dele necessita, estaremos vivendo no amor, para o amor e distribuindo amor aos que nos cercam.
Esse amor doação é a expressão mais pura da caridade. É ela que nos faz ser luz do mundo e sal da terra, conforme prescreveu o Sábio Jesus.
Pensemos nisso. Façamos isso.


¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -  com base em dados biográficos de Sue Westhead. Em 28.10.2016.
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Como uma filha enxerga seu pai


Como uma filha enxerga seu pai

O pai é fundamental no processo de desenvolvimento emocional e social das filhas. O pai é seu exemplo masculino. Um bom pai, mostrará a  menina que tipo de homem ela deve buscar no futuro para se relacionar.

Os pais são os primeiros amores na vida das crianças. E não há nada de mal nisso; aliás, é fundamental a existência desse vínculo, pois é a partir dele que as crianças irão formar o modelo de amor que desejam receber no futuro.

A relação da menina com seu pai
O pai é aquele que vem separar a filha da mãe, permitindo que ela se relacione com "o outro", o diferente. De suma importância para seu amadurecimento emocional. Segundo Freud, esse processo é fundamental também para a orientação sexual da menina na vida adulta. Pois ao ver que a mãe tem um relacionamento com o pai, a menina tende a imitá-la e se apegar ao pai, rivalizando com a mãe pelo amor dele. É muito comum a menina pequena dizer que é "a namorada do papai". Ao perceber que o pai "pertence" à mãe, a menina se identifica com ela e quer ser igual a ela para conquistar o amor do pai. Que mais tarde se manifestará na procura de homens com características semelhantes às dele. Claro, que isso tudo ocorre num nível inconsciente, a criança não sabe que esse processo acontece e nem tem a intenção de que seja assim.

O que a menina deseja de seu pai?
A menina deseja sentir-se amada e valorizada. Ela quer que o pai note sua beleza, o cabelo arrumado, a roupa nova e seus sucessos na vida. Ela quer elogios e mimos. É muito importante que o pai responda a essa necessidade da filha e demonstre que a vê e a aprecia. Dizer a ela que está bonita com o novo penteado, ou com o vestido ou felicitá-la por seu bom desempenho a faz sentir que o pai se importa com ela e a ama.
Toda menina quer ser a princesinha do papai, e não está disposta a aceitar qualquer tratamento inferior a esse. Críticas, embora se façam por vezes necessárias, não são bem-vindas. Caso o pai necessite fazê-lo, faça com bondade ou delegue à outra pessoa como a mãe, por exemplo. É muito constrangedor para a menina ouvir de seu pai que seu cabelo está feio ou que ela não está cheirando bem.

Como a menina vê o pai?
O pai é sua primeira referência do mundo masculino e modelo de como um homem deve ser e como deve tratá-la. Se o pai é bondoso, a trata bem e é um exemplo de virtudes, é provavelmente este tipo de homem que a menina procurará quando adulta para relacionar-se. O inverso também é verdade. Se o pai for agressivo, autoritário, desonesto, é o que a filha guardará como "modelo" masculino. Segundo Regina Rahmi, psicanalista, a verdade é "Tal pai, tal namorado, marido...".
As meninas admiram seu pai, querem agradá-lo, conquistá-lo e receber seu amor. O pai é forte e protetor. Ele é o provedor e pode realizar seus desejos de consumo.
É dever de o pai ajudar a filha a amadurecer e criar uma identidade própria. A filha deve saber que não precisa se adaptar, imitar alguém ou agradar a um homem para dele receber amor. Para isso o pai deve mostrar amor incondicional por sua filha. Frases como: "Eu não gosto mais de você, porque você falou palavrão" . "Eu não gosto mais de você, porque você não foi aprovada na escola.", dizem à menina que ela deve ser boazinha e fazer o que o pai deseja para ser amada, fazendo-a desenvolver baixa autoestima e insegurança. Ela passa a acreditar que se não é amada é porque é má.

O pai autoritário x pai permissivo
Segundo a psicóloga Rosana, "Ser autoritário pode passar a mensagem para a sua filha que ela tem que se submeter aos homens. Avalie se você precisa ser autoritário sempre, pois deixar algumas decisões nas mãos da filha poderá ajudá-la a amadurecer e a assumir as consequências pelas decisões equivocadas."
Em contrapartida, fazer tudo o que ela quer, o torna o queridinho dela, mas pode torná-la manipuladora. O pai deve também dar limites.
 "Tratar a sua filha com respeito, confiança e amor, fará dela uma mulher segura e hábil para se relacionar não apenas com os homens, mas com todos ao seu redor."

¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E - Stael F. Pedrosa Metzger
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg
Livro de Referência: Website: http://tedandoumaideia.blogspot.com.br/

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

É no seio das famílias que se prepara o destino das nações.


É no seio das famílias que se prepara o destino das nações.

É, em grande parte, no seio das famílias que se prepara o destino das nações.
Esta afirmativa é do papa Leão XIII e tem um sentido muito profundo.
Ao dizer que o destino das nações é preparado no seio das famílias, por certo o papa quis se referir aos valores que são praticados dentro dos lares.
Sim, porque aqueles que hoje governam os países e conduzem o destino dos seus cidadãos, já foram crianças e conviveram no seio familiar.
Em tese, nas suas decisões sempre terão grande peso as diretrizes pelas quais foram conduzidos ao longo da infância e juventude.
Quem contestar esta tese estará negando, por isso mesmo, a eficácia da educação.
Henri Lacordaire, o ilustre vigário da Catedral de Notre-Dame de Paris, disse: A sociedade não é mais do que o desenvolvimento da família: se o homem sai da família corrupto, corrupto estará para a sociedade.
Os valores morais vividos na família, principalmente pelos pais, são decisivos na formação do homem de bem de qualquer país.
É assim que o destino das nações é resolvido no seio das famílias, pois é o lar que forma o cidadão.
É o lar que forma ou deforma o profissional de todas as áreas.                              
É a família que traça o caminho que seus membros devem percorrer.
É por essa razão que o cultivo das virtudes dentro dos lares é essencial para melhorar essa célula básica da sociedade chamada família.
Nas resoluções tomadas, no dia-a-dia de qualquer pessoa, pesarão as lições aplicadas na formação dos seus caracteres desde a infância.
Se as lições foram de corrupção, de desrespeito à vida, de supremacia da força bruta, de egoísmo e de preconceitos variados, essas serão as diretrizes que irão nortear seus atos.
Se as lições foram de honestidade, respeito pelo semelhante, fraternidade, valorização da vida no seu mais amplo sentido, essas virtudes vão basear suas decisões.
É assim que a construção de um mundo melhor depende das lições que estão sendo passadas hoje no seio das famílias.
Não se constrói um edifício começando pela cobertura mas pelas bases, pelos alicerces. E a base de qualquer sociedade, são os lares.
Se nas bases forem fincados os pilares sólidos das virtudes, todo o edifício terá segurança e nobreza.
Mas, se as bases estiverem apodrecidas pela corrupção dos costumes, então o edifício estará gravemente comprometido e tende a desabar.
É necessário e urgente que as famílias pensem nisso com carinho pois o edifício social depende de cada um de nós.
Se não desejamos guerras, corrupção, violência, precisamos agir hoje, fundamentando os alicerces dos lares com os pilares da paz, da honestidade, do respeito à vida.
Esse é o único caminho, não há outro. Não haverá um país moralizado sem cidadãos moralizados. Não haverá uma nação pacificada sem a pacificação dos seus habitantes.
Pense com Edu
A moral, como ensinou Jesus, o Sábio de todos os tempos, é a regra de bem proceder.
Por isso, existem alguns valores que não podem ser esquecidos nem negligenciados, no contexto educacional: a justiça, o amor e a caridade.
Estas são as virtudes básicas para uma sociedade mais feliz. Jesus as viveu e ensinou como o resumo de todas as Leis, da seguinte forma: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Um ensinamento simples e eficaz. Basta fazer. Eis o grande desafio para quem deseja construir uma família pacificada, uma cidade justa, uma nação de bem, um planeta melhor.

¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E - Elaborado com frases do  Papa Leão XIII e de Henri Lacordaire.
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg
Livro de Referência: livro A sabedoria dos tempos, ed. Centro de estudos Vida e Consciência..

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Meu filho e as manhãs


Meu filho e as manhãs

Hoje pela manhã, como de costume, antes de sair para trabalhar, visitei o quarto de meu filho.
Considero uma espécie de ritual sagrado de todas as manhãs: chegar bem perto de seu berço, ajeitar sua coberta com cuidado, aninhá-lo com carinho para que não se descubra.
Passo então minhas mãos, algumas vezes, sobre seus cabelos macios, e digo em pensamento: “Como eu te amo!”
Ele normalmente se move com suavidade, como se reagisse de alguma forma ao estímulo externo durante o sono.
Continua ali, em silêncio, em paz, preparando seu corpinho e sua alma para mais um dia de descobertas felizes.
Despeço-me, procurando não fazer ruídos, e saio porta afora com a alma leve, pronto para enfrentar mais um dia no mundo.
Da próxima vez que o vir, mais tarde, ele já estará desperto, correndo pela casa, brincando com seus carrinhos, e irá me conceder mais uma alegria: a de receber seu sorriso, que sem dizer nada, diz tudo.
Por mais que alguns dias sejam difíceis, por mais que as batalhas sejam ferrenhas e desgastantes, tudo se acalma, tudo se conforta naquele sorriso.
Os sorrisos de criança têm um poder quase mágico, e os de nossos filhos mais ainda. Eles parecem querer nos fazer perceber que, por mais que a vida seja tormentosa, cheia de pequenos e grandes espinhos que provocam dor, muita alegria ainda existe.
Por mais que neste exato instante existam “n” pessoas desejando não mais viver, se enfraquecendo nas lutas, desejando desistir, existem outras tantas almas agradecendo pela vida, num júbilo contagiante.
E tenho certeza de que “ser pai” é mais um desses motivos de alegria plena, de gratidão a Deus, e mais uma das muitas razões que temos para continuar sempre, sem desistir.
Meu filho e as manhãs me ensinam sempre esta lição preciosa, a da renovação, do renascimento da água e do Espírito.

Refletindo com Edu!

Muitos pais se queixam de não terem visto seus filhos crescerem. Passa tão rápido! Não me lembro mais! – são expressões que ouvimos com frequência. Será que estamos atentos aos nossos filhos como deveríamos estar? Será que passa tão rápido assim, a ponto de guardarmos tão poucas lembranças? Ou há alguma coisa errada com o tempo, ou há alguma coisa errada conosco.
Seria tão bom poder ouvir de um pai, de uma mãe: Lembro-me de cada nova conquista, de cada dia da infância, de cada nova palavra...
Seria tão bom poder ouvir: Curti cada dia ao seu lado, meu filho, quando você era pequenino, como se fosse o último. Não perdi oportunidade alguma junto a você. Aproveitemos o tempo junto a eles, em qualquer idade, em qualquer condição de vida.
Curtamos a existência ao seu lado, anotando no coração cada beleza, cada nova descoberta, tirando fotografias com a alma – registrando no íntimo do ser cada sorriso em seu rosto.


¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg
Livro de Referência: livro Nossos filhos são Espíritos, Hermínio  Miranda, ed. Arte e cultura.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Faça seu tempo feliz


Faça seu tempo feliz

Se você caminha pelas ruas atuais, cotidianamente, percebe o quanto costumam ser negativas, pessimistas ou depressivas as expressões da vida de cada um.
As falas diversas dos seus interlocutores, se é que você mesmo não se enquadra nesse rol de negativas e de negatividades.
Jamais, ou poucas vezes, acha-se alguém com entusiasmo pela existência, expressando tal entusiasmo.
Abrem-se os comentários da vida, habitualmente, pelas afirmativas de que as coisas em torno estão muito ruins, quando menos, diz-se que as coisas estão mais ou menos.
É de costume a pessoa lamentar-se pelos familiares que não são carinhosos, que não são atenciosos, que não são dedicados. De outro modo, fala-se que estão doentes, que são doentes, que são maus.
Vêem-se as conjunturas políticas e sociais do mundo com tamanho pessimismo, que costuma-se asseverar que “não há mais jeito”; “que tudo vai de mal a pior”; “nesse campo ninguém presta”.
Os amigos são para esses negativos, verdadeiros traidores, que não merecem a sua amizade; comenta-se que, em toda parte, o mal vai tomando dianteira.
Se o assunto é vício, drogas etc. Ouvem-se falas como “ninguém escapa”; “todo mundo usa”; “é uma calamidade”.
O trabalho profissional é chato, cansativo, expiatório, e, então, para que trabalhar?
Todavia, vale a pena meditar um pouco sobre tudo isso. Pare um pouco e pense sobre a sua vida, seus objetivos. Melhore o nível psíquico do seu dia-a-dia. Você não precisa ser deficiente intelectual diante dos fatos do mundo.
Porém, mesmo sabendo das coisas equivocadas que se passam no mundo a sua volta, procure extrair o melhor de cada dia.
Tente observar as coisas boas, bonitas, formosas que estão acontecendo ao seu derredor.
Você pode atrair bênção ou tormentos, luz ou sombra, tristeza ou alegria. Só depende da sua própria disposição.
Aprenda a extrair o que há de melhor na terra, ao redor dos seus passos. Busque fazer o seu dia brilhante, feliz, inaugurando, onde se move, o regime de otimismo, de alegrias.
Trabalhe de tal maneira que a sua sensibilidade seja passada a todas as pessoas que estão ao seu redor.
Entusiasme-se com a sua saúde e a dos seus. Sorria, a cada manhã, com o passeio do sol nas avenidas azuis do céu...
Agradeça ao Senhor supremo pela família, pela saúde, pelas chances de estudar, de trabalhar, sem maiores problemas.
Erga a sua oração ao Criador e, sintonizando nas faixas felizes do bem, transforme a sua existência num campo de muito boas realizações.
Faça do seu dia um dia venturoso, realizando a sua parte para que todo o mundo melhore, se aprimore, com um pouco do seu esforço.

Pense nisso!


¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -  Joanes e Raul Teixeira, em 15/03/2000.
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Famílias que oram unidas são mais felizes e vivem melhor!


Famílias que oram unidas são mais felizes e vivem melhor!

Diversos estudos científicos chegaram à conclusão de que as famílias que oram juntas são mais felizes, permanecem mais unidas e, por isso, vivem melhor, confirmando assim a conhecida frase “família que reza unida, permanece unida”, que acunhou o sacerdote Patrick Peyton e que dizia com grande frequência São João Paulo II.
A agência de notícias ‘Religión en Libertad’ tomou a tarefa de compilar vários destes estudos. Um deles foi o que realizou o professor de psicologia da Universidade Estatal de Dakota do Norte, Estados Unidos, Clay Routledge, que centrou sua investigação nos efeitos que a oração e a prática religiosa tem nas pessoas, não somente em relação à alma, mas na parte física e nas relações com os demais e com a sociedade. “Há uma evidência que indica que a oração, um comportamento associado à religião, pode ser útil para os indivíduos e para a sociedade”, diz o professor sobre uma pesquisa recolhida pela UCCR, que menciona a agência de notícias.
O professor, após estudar os resultados de uma leitura científica sobre o tema, comenta que está demonstrado que a oração melhora o autocontrole, ajuda a ser pacientes, faz que se seja mais tolerante, e traz benefícios para a saúde e baixa o estresse. Ligada a esta investigação está a que realizou o Departamento de Sociologia da Universidade de Carolina do Norte baseada nos adolescentes. Com o título “Relação das famílias religiosas e qualidade da relação dos pais com o início da adolescência”, o estudo oferece várias conclusões importantes, entre elas que as crianças cujos pais oram juntos mais de uma vez por dia tem uma melhor relação com eles, inclusive se os menores não participaram desses momentos de oração.
Outra pergunta por esta mesma linha, realizada pela Associação Americana de Psicologia sobre Psicologia da Religião e Espiritualidade, fala da relação positiva que existe entre o aumento da confiança recíproca e o tempo que o casal de esposos dedica à oração. Além disso, também se demonstrou os efeitos positivos da oração nas pessoas com enfermidades severas e que se encontram diante do perigo da morte. Como assegurou o já convertido médico e biólogo francês Alexis Carrell, que foi prêmio Nobel em Medicina em 1912. Ele em um dos seus livros disse que não podia comparar a oração com a morfina, porque ela vai além.
“Os efeitos da oração não são uma ilusão. Não é necessário reduzir o sentido sagrado à angústia do homem diante dos perigos que os circundam a frente do mistério do universo, nem tampouco é necessário fazer a oração uma poção calmante, um remédio contra nosso medo e o sofrimento da enfermidade da morte.
O sentido sagrado parece ser um impulso proveniente do mais profundo de nossa natureza, uma atividade fundamental, por meio da oração o homem vai a Deus e Deus entra nele”, escreve o médico e biólogo em seu livro “A Oração”.
O próprio Papa Francisco, em uma de suas catequeses de Quarta-feira na Praça de São Pedro, convidou a descobrir a beleza da oração na família, para que rezando uns pelos outros sejamos protegidos pelo Amor de Deus.


¹ Fundador e Autor do Blog: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : Por Gaudium Press - See more at: http://santuariodeanchieta.com/familias-que-oram-unidas-sao-mais-felizes-e-vivem-melhor-revelam-estudos.html#sthash.uxSgKcis.dpuf
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg