quinta-feira, 27 de maio de 2010

NÃO QUERO MIGALHAS DO SEU AMOR

Migalhas
Sinto muito mas não vou medir palavras

Não se assuste com as verdades que eu disser

Quem não percebeu a dor do meu silêncio

Não conhece o coração de uma mulher

Eu não quero mais ser da sua vida

Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor

Quero ser feliz

Não quero migalhas do seu amor

Do seu amor
Quem começa um caminho pelo fim

Perde a glória do aplauso na chegada

Como pode alguém querer cuidar de mim

Se de afeto esse alguém não entende nada

Eu não quero mais ser da sua vida

Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor

Quero ser feliz

Não quero migalhas do seu amor

Do seu amor
Não foi esse o mundo que você me prometeu

Que mundo tão sem graça

Mais confuso do que o meu

Não adianta nem tentar

Maquiar antigas falhas

Se todo o amor que você tem pra me oferecer são migalhas

Migalhas
Eu não quero mais ser da sua vida

Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor

Quero ser feliz

Não quero migalhas do seu amor

Do seu amorSinto muito mas não vou medir palavras

Sinto muito


Migalhas Simone Composição: Erasmo Carlos


pois é, o que achou da letra dessa musica? é a sua realidade?
vamos conversar um pouco sobre ela... Encontrar uma pessoa especial, amar e ser amado, viver uma relação plena. Este é o sonho da maioria das pessoas. De fato, encontrar um parceiro para a vida é um dos nossos maiores objetivos, e merece mesmo muita atenção e investimento. Mas será que isso é mais importante que a nossa felicidade individual? O que significa, de fato, estar com alguém? Por que será que existem pessoas que fazem de tudo de tudo mesmo só para estar com alguém, transformando-se em mendigos do amor, recolhendo migalhas que o parceiro deixa cair?



Algumas pessoas, quando estão sozinhas, ficam obcecadas em encontrar alguém para chamar de seu. Criam uma ilusão de que, ao encontrar um namorado ou uma namorada, instantaneamente seus problemas deixarão de existir. A ciência de fato já provou que nossa química se altera quando estamos apaixonados, e a sensação de bem estar é renovadora. Mas ela só é efetiva em uma relação recíproca, quando amamos e somos amados de volta. Em outros casos, a química pode se alterar de modo diferente.



É o que ocorre quando ficamos viciados em outra pessoa e nos comportamos em relação a ela como um droga dito se comporta com a cocaína. Conforme a idade avança, os homens e principalmente as mulheres ficam ansiosos com a idéia de ficarem sozinhos, de nunca encontrarem alguém. A pressão da família e dos amigos é grande, mas não é pior que a pressão que vem delas mesmas. Isso gera ansiedade, o que os deixa menos relaxados e espontâneos. Tanta energia empenhada em encontrar um companheiro, mais atrapalha que ajuda. Não são raras as pessoas que pensam as minhas opções diminuem com o tempo, então tenho que ser menos exigente para conseguir alguém. E de menos exigente passam a aceitar ficar com qualquer um, só para não estarem sozinhos. E o que dizer de quem já está em uma relação, mas não é feliz? Muitas pessoas permanecem em relações com parceiros que as fazem de gato e sapato. Os companheiros ligam quando querem, saem quando querem, progama a dois (nem pensar) inventar mil desculpas, são grossos e rudes, as brigas são constantes. Essas pessoas reclamam dos companheiros, mas não tomam nenhuma atitude para manifestar a insatisfação ou terminar a relação. Ficam à disposição do outro, e qualquer contato não importa a qualidade do mesmo é melhor que nada.



Aceitam a relação que o companheiro impõe porque percebem que esse é o único jeito de ficar com ele. É claro que queremos ter certeza que tentamos de tudo para a relação funcionar, fizemos o possível e, mesmo assim, não deu certo. Caso contrário, vamos ficar com a dúvida. Mas, muitas pessoas continuam em relacionamentos frustrantes porque não querem admitir para elas mesmas que o tempo, a energia e os sentimentos investidos foram por água a baixo. Mas se é difícil admitir que a relação fracassou adiar o término só faz com que ele seja mais doloroso. Equivale a postergar do luto. É como adiar a perda para evitar enfrentar o estar sozinho de novo.



Qualquer que seja a situação, estar com alguém priorizando o fato de estar em uma relação, e não a qualidade da mesma faz com que nos coloquemos em uma situação desfavorável, mendigando amor. Na posição de quem não pode ter vontades, não deve satisfazer seus desejos, não se permite ter aspirações. Na posição de quem tem que aceitar qualquer migalha, senão vai morrer de fome. Qualquer coisa que venha do outro serve, melhor que nada. Melhor que estar sozinho. Quem está nesse tipo de relação se livrou do problema da solteirice, mas arrumou um problema real. A preocupação excessiva em estar com outra pessoa cria um problema que não deveria existir, e camufla outro, que é real. Estar sozinho não é um problema Quando achamos que é um problema, na verdade procuramos a relação e o parceiro para servir de escudo que nos protege de nós mesmos. Para muitas pessoas, estar sozinho é o contrário de estar em um relacionamento. Ledo engano. Esta crença nos protege da cruel verdade: nós SOMOS sozinhos.



A jornada da vida é solitária; a cultura humana inventou o casamento e a vida a dois para amenizar a solidão, para compartilharmos nossas vidas com outra pessoa. Um casal é composto de duas pessoas diferentes que se encontram e que decidem, de maneira responsável, trilhar o mesmo caminho. Precisamos ser inteiros para estar em uma relação. Só podemos ser bons para o outro quando somos bons para conosco. Precisamos gostar de nós mesmos e da nossa companhia para esperar que o outro goste também. Viver das migalhas de amor do outro, além de nos deixar subnutridos, nos impede de nutrir a nós mesmos. Devemos esperar ser amados. Caso contrário, só encontraremos alguém para estar conosco por caridade.





Fonte: Cecília Zylberstajn

Adptação: Eduardo Campos

Nenhum comentário: