quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Isolamento ou solidão?


Alguma vez você já pensou no que é a solidão? O que você faz pra ficar só? Adaptei um poema, sobre a solidão, cujo autor quer manter-se anônimo.
Solidão é...
Olhar o telefone, ansioso por um chamado, e ele permanecer mudo.
Esperar a resposta de quem visualizou uma mensagem no Whats App e não te respondeu.
Ouvir uma música e não ter ninguém com quem associá-la.
Querer dormir muito, para não ter a consciência de que está só.
Não ter ninguém com quem brindar um acontecimento.
Sentir frio e não ter um braço para aquecê-lo.
Esperar a semana toda por uma visita e ela não chega.
Falar alto em casa, para ter a sensação de estar ouvindo algum ser humano.
Ter apenas um prato na mesa, às refeições.
Não ter alguém para lhe abotoar o vestido ou lhe ajeitar a gravata.
Sair de madrugada, tentando encontrar algum conhecido para poder desabafar.
Perceber que não tem um ombro para chorar.
Não ter uma companhia numa consulta médica.
Ler o jornal, durante as refeições, por não ter com quem conversar.
Verificar que a correspondência se resume a contas, cobranças e extratos bancários.
Nunca ter a quem dizer: "Bom dia!" ao acordar.
Não ter quem lhe faça um chá, quando está indisposto.
Não ter possibilidade de dividir o mesmo desodorante ou a mesma pasta de dentes.
Não ter alguém que lhe impeça o suicídio.
E você? Quando se sente realmente só? O isolamento é diferente da solidão. É o momento que se escolhe para estar consigo mesmo, em paz e harmonia. É uma busca interior, um movimento voluntário, uma virtude desenvolvida.
A solidão começa quando nos trancamos para o amor.


Referencia: Amar pode da certo - Roberto Shinyashiki &Eliana Bittencourt Dumêt. 1ª edição – 1988. São Paulo: Editora Gente.

Nenhum comentário: