quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A PAZ DE FAZER AS PAZES.


Inevitavelmente, colecionamos alguns desafetos no decorrer dessa vida.
Ainda bem que eles são incomparavelmente menores em relação ao número de afetos conquistados.
Eu tenho 1 desafeto, e não faço ideia se um dia vou conseguir resolver. Mas acredito que estou a caminho...
Bom, até pouco tempo atrás, o número era 2.
Até que um belo dia, quem veio trabalhar comigo?
O desafeto número 2.
No começo, pensei que seria difícil, e me preparei para ser, no mínimo, educado.
No primeiro contato compartilhado, as coisas ficaram um pouco mais leves.
No segundo, já demos risadas.
No terceiro, eu já conseguia olhar para essa pessoa e pensar – Ela é legal.
No quarto, eu descobri que um projeto que eu fiz para uma empresa, foi ela quem fez a parte gráfica.
Caramba, se “inimigos” ganhamos uma concorrência juntos, sendo amigos, quanto mais a gente tem a ganhar? 
Ficou a lição.
Mudar de ideia é bom.
E eu me sinto livre pra mudar de ideia um milhão de vezes.
Só sei que eu vim aqui dizer que a paz de fazer as pazes é muito boa.
E quando você se resolve com alguém, significa que os dois lados, ou pelo menos um deles, mudou para melhor.
Deixou pra trás.
Esqueceu.

Olhou para frente.


¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -  Eduardo Campos
³ Fonte imagem : http://3.bp.blogspot.com/_vijyi/20090416-Cao_e_gato.jpg
Written by Eduardo Campos all rights reserved.

Nenhum comentário: