segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Uso do tempo


 
É senso comum, nos dias de hoje, a ideia de que o tempo de que dispomos no dia parece não nos permitir dar conta de tantos afazeres. Frequente é a afirmação que vinte e quatro horas no dia são poucas, frente a tantas coisas que assumimos.
Somam-se os compromissos profissionais, as obrigações sociais, as atividades familiares preenchendo nossa agenda.
Assim se escoam as semanas, os meses correm céleres, substituindo-se um ao outro no calendário que segue rápido para o ano seguinte.
Porém, é necessário que façamos uma análise de como estamos usando nosso tempo.
Considerado algo raro nos dias de hoje, o tempo deve ser conduzido com lucidez, empregado com bom senso.
Assim, nos cabe a reflexão sobre qual a qualidade do uso de nosso tempo.
Com que vimos empregando nossas horas? A distribuição delas ao longo da semana contempla a tudo que é necessário e a todos que nos são importantes?
Há quanto tempo não dedicamos cinco minutos para ligar para um amigo distante?
Há quantas semanas ou meses não conseguimos visitar a avó carinhosa, a tia querida, ou outro parente com quem temos importantes laços emocionais?
E, além desses que nos são caros, tem sobrado tempo nas nossas horas para os desconhecidos?
Temos reservado algum tempo na semana para um trabalho voluntário, para nos dedicarmos a uma causa importante, para ajudar alguém pelo simples exercício da solidariedade?
Será que vimos utilizando nossas horas com parcimônia e na proporção devida para todas as atividades?
O tempo que temos dedicado ao trabalho, é o mais adequado?
Já nos perguntamos se nada tem ficado sem o devido atendimento em razão de possível exagero em questões de trabalho?
Família, amigos, têm perdido nossa companhia por empenho demasiado nos deveres profissionais?
O tempo para as coisas da alma, também tem merecido prioridade?
Temos alimentado nossa religiosidade, investido nas coisas que transcendem o corpo?
Ao realizarmos esses pequenos balanços, vamos nos apercebendo se estamos, efetivamente, conduzindo nossa vida, se estamos utilizando o tempo da maneira mais adequada, caminhando para onde é importante.
As horas, dias ou anos, são os mesmos para cada um de nós. O que nos diferencia é o aproveitamento que damos a esse bem tão precioso.
Assim, ao percebermos horas mal utilizadas, busquemos direcioná-las para o que seja útil.
Se estamos privilegiando muito a um aspecto da vida em detrimento de outro, reorganizemos nossa agenda.
Afinal, o tempo que nos é ofertado pela vida, é tal qual os talentos dados pelo Senhor da Vinha aos seus trabalhadores. Multiplicar esse tempo em nosso benefício e dos que nos cercam, é sabedoria do bom trabalhador.
Não malbaratemos as horas, investindo-as em momentos vazios e sem significado. Façamos dos dias que dispomos, nesta existência, verdadeiro presente de Deus, o melhor emprego possível, utilizando sabiamente esse tesouro valiosíssimo.

Olá queridos leitores! Seja bem-vindo ao meu blog. O seu comentário é um incentivo a novos posts. Eles são a maior recompensa por cada pesquisa, cada palavra escrita. Então...Que tal deixar o seu recadinho? Vou ficar muito feliz em recebê-lo. Quem desejar ou quiser comentar enviar perguntas, depoimento ou sugestões de tema ao blog, basta enviar um e-mail para nosso endereço eletrônico:  edu.com28@yahoo.com.br
Aguardamos sua participação. Um abraço fraterno a todos do amigo Eduardo Campos


¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E -  
³ Fonte imagem : http://2.bp.blogspot.com/-e7J1267EXi8/TezrheUCMKI/AAAAAAAAAH4/SmCQI2ZvgKo/s1600/O%2BUSO%2BDO%2BTEMPO.jpg




Nenhum comentário: