sexta-feira, 8 de agosto de 2008

PRECISAMOS CRESCER NO AMOR...

Vamos Cresce no amor!

Conta uma lenda que havia, no fundo de um lamaçal, uma comunidade de larvas. Periodicamente uma delas era tomada pelo impulso de subir à tona e desaparecia. Todas ficavam muito intrigadas com o fato. Um dia, algumas lavras, que eram muito amigas, fizeram o pacto de que a primeira que subisse voltaria para contar o que havia lá em cima. Teria de retornar até onde estavam as outras para contar o que havia ocorrido fora do lamaçal. Chegou, então, a hora em uma delas foi possuída pelo desejo de ir à tona e assim o fez. Enquanto ia se distanciando, ouvia as amigas gritarem: “você tem de voltar, não se esqueça”. Mas, ao chegar à superfície, a larva se transformou em crisálida e não pôde voltar, porque não poderia retornar ao estado de larva. A transformação de larva em crisálida tornou insustentável a promessa de retorno que ela fizera às amigas.


Crescer no amor é saber voltar atrás em uma decisão de separação, ao perceber que se está abandonando o grande amor de sua vida. Há momentos em que a sensação é a de que “acabou”, “não da mais”, “quero ficar livre” e um dos parceiros se decide pela separação. Tempos depois, o casal pode se reencontrar, e esse parceiro, ao sentir que a pessoa mudou e que ele a perdeu por tê-la abandonado num momento de confusão ou de aventura mais excitante, volta a sentir aquela sensação, outrora vivida, de querer estar mais perto dela. O rosto que lhe fora indiferente por tanto tempo torna-se especial outra vez, a voz, única, a ausência é sentida e a presença traz nova alegria. Tudo passa a comover outra vez, e quem abandonou se permite o humilde ato de pedir perdão; o abandonado, se ainda estiver amado, deixa o ressentimento de lado, e juntos reconstroem um caminho interrompido.
Cresce no amor também significa abandonar alguém quando definitivamente não existe possibilidade de se estar com essa pessoa numa relação saudável. Às vezes, processam-se mudanças que tornam uma relação insustentável. Procurar reformar uma relação morta é mesmo que tentar reviver ou ressuscitar um cadáver.

FONTE: AMAR PODE DA CERTO

Nenhum comentário: