quinta-feira, 9 de abril de 2015

PROVAÇÃO? EXPIAÇÃO? OU KARMA?

PROVAÇÃO? EXPIAÇÃO? OU KARMA?
“Geralmente quando sentimos a dor, a dificuldade, a morte, fazem a gente se questionar”:

Provação é a situação difícil que o espirito planeja ao adentra na terra, consciente de que tem débitos a resgatar, que é preciso passar por um processo de depuração, a fim de que se reintegre nos ritmos da vida dos quais se afastou pela inconsequência, o erro, o vicio...
Estabelecendo uma comparação, digamos que uma pessoa em provação é um cidadão que, tenha comedido alguns erros “crimes”, apresenta-se voluntariamente à policia, disposto a assumir a consequência deles.
Na prisão, geralmente tem bom comportamento, enfrentando com serenidade a privação de liberdade. Tem consciência de que está ali para pagar ou quitar seu débito com a sociedade.
Os casos de superação, em que o indivíduo dá volta por cima, como se costuma dizer, geralmente envolve pessoas em provação.
Na expiação, temos essas mesmas situações difíceis, dores e sofrimento, que surgem não por escolha do espirito, mas por imposição da Lei Divina. Vem na marra mesmo, como se costuma dizer. Seria o criminoso caçado pela policia, que quer fugir de suas responsabilidade, mas acaba preso, julgado e condenado. Geralmente, pessoas em expiação são rebeldes, têm dificuldades para aceitar seus infortúnios, sentem-se injustiçado “porque só acontecem comigo, fulana fez o que fez e continua bem, e eu continuo nessa desgraça”, debatem-se e, não raro, comprometem-se em novos desatinos. A revolta, o rebelar-se contra as situações expiatórias, é extremamente perigosa. Leva o condenado a comprometer-se em novos desvios. É o espirito que na vida passada, ou ate mesmo nessa, malbaratou as oportunidades, comprometeu-se em desatinos. Reencarna em situação difícil mas, ao invés de enfrentar suas dificuldades com coragem e determinação, apela para desonestidade, busca a riqueza a todo custo, partindo para praticas não saudáveis como crime, a violência, o trafico de drogas.Há o portador de grave enfermidade que tem como objetivo conter suas tendências, mas reage negativamente, é rebelde e agressivo, complica sua vida e se não bastasse complica a vida da família com suas crises neuróticas. Pior acontece com aquele que, rejeitando as experiências educativas a que é submetido, assume a postura de fuga, partindo muitas das vezes para o suicídio, essa porta falsa que longe de livrá-lo de seus padecimentos, apenas mergulha em dores mil vezes acentuadas, impondo-lhe novas e difíceis expiações.
SUICIDIO?
Deixe que seja uma pergunta.
Porque resposta não é.

Karma é uma espécie de Lei Universal de causa e efeito tanto na Filosofia como na religiões indianas. Ele dita que toda ação tem consequências futuras, que dependem de sua natureza. “de forma mais simples uma “boa” ação leva bons resultados  por exemplo a “Gentileza gera Gentileza”, e uma “má” ação a maus resultados exemplo a “ violência gera violência ”. Escrita também com C na língua portuguesa, a palavra Karma vem do sânscrito (língua indiana antiga) e, ao pé da letra, significa ação. Ela já aparecia em textos escritos entre 1000 a 700 antes de cristo. Acreditava-se que como consequência do ato, era possível conquistar riqueza e até mesmo “um lugar no céu”. Assim como a religião Espírita afirma a reencarnação, a religião indiana prevê o nascimento após a morte, o Karma vai bem além do ditado “aqui se faz, aqui se paga”. A relação entre ação e resultado pode durar por mais uma vida, e o sofrimento de cada pessoa é determinado pelas ações em uma (ou mais) vida(s) anterior(es). Quem age da forma correta consegue se libertar da carga acumulada pelas suas vidas pregressas. O Karma está presente nos textos religiosos e filosóficos de todas as religiões da índia. A ideia de que colhemos o que plantamos também aparece em outras religiões, como o cristianismo e o judaísmo, que não acreditam em reencarnação.O nosso carma é complicado; ainda bem que somos favorecidos pela benção do esquecimento... Eu não sei como alguém possa ter curiosidade quanto o que foi e ao que fez em vidas anteriores! A misericórdia Divina parcela os nossos débitos, caso contrario seriamos anulados por eles. A população que vive no planeta terra não é composta de santos ou missionários. Estes constituem exceção. Podemos, até para uma tomada de posição, avaliar nossa condição.

¹ Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
Contato: edu.com28@yahoo.com.br
² Fonte imagem : http://suacampanha.com/sim-nao-talvez-suacampanha.jpg


Written by Eduardo Campos all rights reserved.

4 comentários:

Anônimo disse...

o Karma vem sem que a chamemos e se vai sem percebermos. Não faz de nossa alma morada, salvo se, doentiamente, a acorrentarmos e a tornarmos parte de nós. É visita que nos cumpre aceitar por algum tempo. Deixa cicatrizes, realmente. Mas chega um dia em que as olhamos sem sofrimento e apenas como sinal de superação. Um texto que apresenta a verdade dita de forma leve e sensível. Parabéns Bjs.

Anônimo disse...

Maravilhoso e refletivo texto abraços e uma excelente semana!

Anônimo disse...

É muito bom te ter de voltar aqui no blog Eduardo! Aqui encontro palavras de sabedoria em seus texto! Estive de férias e depois entrei num ritmo não tão frequente no blog, por isso a demora. Mas sempre é um prazer visitá-la, não tenha dúvidas! abraços

Anônimo disse...

Na vida estamos todos no mesmo barco... com nossas imperfeições, uns querendo acertar, outros não se importando muito. Nem sempre os bem intencionados conseguem e as vezes os que não se importam nos surpreendem. São laivos de egoísmo e outros de generosidade. As vezes as bênçãos vêm de graça de onde menos se espera. Um abraço