quarta-feira, 8 de abril de 2015

Acredite sempre: tudo passará

"Acredite sempre: tudo passará"



Vejamos como Deus é bom! O que supomos uma tristeza, pode ser uma alegria. O problema é que nós não damos tempo para que o bem se revele através das coisas aparentemente ruins que nos acontecem. Quem poderia supor que a roseira crivada de espinho fosse capaz de produzir rosas?
Eduardo Campos

Parece que o ultimo problema, pelo qual estamos passando é o pior de todos, é o mais pesado...
Uma noite passada em dor parece que nunca acaba tudo parece que é mais difícil durante a noite, quando só há silêncio e o grito de nossa alma...
Parece que há coisas que vem dando a impressão que jamais vão embora, que vieram pra ficar. Mas acredite que já pensamos dessa forma em outros momentos de nossa vida, e passou.
O problema é queremos que a vida funcione no compasso do nosso desejo, e a vida ela é composta de mil coisas que interagem que nos direcionam a essa ou aquela reação...
A reflexão de que o momento é este duro, difícil, mais durante essa fase ruim que estou passando estou aprendendo uma coisa, não há noite interminável, não a noite que não seda a força de um amanhecer... Não a brumas que se afastem com a chegada dos primeiros raios de sol
E talvez diante de uma dor, de uma angustia, de um sofrimento ou dificuldade, os raios de sol que necessitamos talvez sejam da fé e da esperança...
A vida é dinâmica e não para como dizia o poeta cazuza, ela não vai para diante da sua dor, da sua angustia, do seu problema, de suas lagrimas, nem ela e nem as pessoas que lhe acompanham... As pessoas poderão no primeiro momento estarem ali, olha presente, rente do lado, ombro a ombro, de mãos dadas, uma semana, duas semanas... Mas depois não estão assim ombro a ombro, lado a lado na terceira, já é um telefonema, na quarta semana as demandas delas já ganham as prioridades... E você vai esta com você, no máximo com aquela pessoa mais próxima, mas mesmo assim cansada.

“outro dia conversa com uma senhora ela me dizia: ai, nossa que alivio sair pra descansar... meu marido esta muito doente sabe, e eu não estou aguentando aquele peso não... Eu perguntei quantos anos de casados à senhora tem? Ela sorrindo disse quarenta meu filho... Eu pensei até quem tem quarenta anos de casados sente o peso do carrego... Somos seres humanos. Ficamos conversando ela disse já espaireci agora vou voltar... e eu sentia na fisionomia dela um peso muito grande”...

É meus amigos a vida não para, se você lançar a angorá na sua dor é você que vai ficar ali , porque até com o passar do tempo seus amigos vão lhe achar chato e chato, com aquela mesma historia de sempre... Geralmente as pessoas não querem saber e nem vivenciar problemas dos outros por muito tempo, porque já bastam os próprios...

¹ Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
Contato: edu.com28@yahoo.com.br
² Fonte imagem : http://i.ytimg.com/vi/3PgDEkYsVN4/hqdefault.jpg

Written by Eduardo Campos all rights reserved.

10 comentários:

Anônimo disse...

Você nem imagina o quanto eu precisava ler esse texto amigo... Sei que também experimenta essa dor (recente) que é como a minha. Mas todo mundo diz a mesma coisa, que um dia essa dor vai passar... Esperemos, porque ela não nos abandona e esse texto desenha exatamente o que ela faz conosco... Presente todos os dias, aonde quer que estejamos.

Nanda disse...

Lendo o teu texto Eduardo, Fiquei aqui lembrando... Quando meu pai faleceu, eu senti a maior, a mais profunda e mais cruel dor da minha vida... E quando alguém vinha com essas frases feitas de "vai passar", "tudo passa", "dá tempo ao tempo", a minha vontade era de gritar, berrar, e até bater, porque parecia que a pessoa não estava entendendo... Por isso nunca pronuncio essas frases para ninguém, apesar de hoje saber que são a mais pura verdade... Uma semana, abençoada e feliz para você meu amigo!

Lúcia Helena disse...

Talvez esse texto Edu não pretendesse ser um elixir contra a dor, mas faz pensarmos a respeito de um jeito tão sensato que acaba soprando algumas feridas.Gostei muito parabéns!

Anônimo disse...

Eduardo quando a dor é muito recente, as palavras do teu texto, podem até soar como insensíveis, porém querendo ou não, são verdadeiras... Beijo de afeto pra ti amigo e fique com Deus

Anônimo disse...

Que texto lindo e verdadeiro! E que bom que seja assim, né? Tudo passa. Até a dor, as magoas...é só deixar ir. Existem tantas coisas lindas e maravilhosas no mundo!
Para que vamos nos fixar só no que está errado e ruim?!

Anônimo disse...

Concordo na íntegra. Magnifico o texto que me deu um gosto enorme ler... Deixo cumprimentos.

Claudia disse...

Realmente é muito difícil fazer um diagnóstico da dor: ela fere, se arrasta dentro da gente em determinados momentos... É muito difícil escapar dela, pois nos acompanha a passos largos... Como foi bem explicitado no texto, muitos emitem palavras de consolo, de que tudo passa, amanhã é outro dia, mas sabemos que a coisa não funciona muito bem assim... Quem sente a dor sabe o quanto ela é devastadora e corrosiva.
E o melhor momento é quando finalmente a aceitamos, pois sabemos intimamente que teremos que conviver com ela... Mas como todas as feridas, as dores também cicatrizam e deixam apenas as marcas, para nunca nos deixar esquecer que elas existiram! Obrigada pela partilha de tão bela mensagem!

Seleste Negrão disse...

É verdade primo tudo passa ja sentir essa dor e horrível mais o choro pode dura uma noite mais alegria vem pela manhã e nada que um dia atrás do outro noite boa amo te primo lindooo

Anônimo disse...

Assim é a dor!... Sofremos , achamos que não tem fim, e um dia olhamos para traz e verificamos que foi embora, ficando apenas, algumas cicatrizes que nos lembram o que passou e que mais fortes ficamos.

Anônimo disse...

Nas nossas vidas temos dores e cores Eduardo... As primeiras chegam, as sentimos, sofremos... Pouco a pouco, as cores chegam e nos iluminam as janelas da vida! Um texto muito bonito, Eduardo!Uma bela semana para ti, mesmo com esse rasto de dor.