sábado, 23 de maio de 2015

O VAGA-LUME QUE O MUNDO PRECISA





A criança contemplava, durante o dia, o vaga-lume desgarrado da noite a encetar pequenos voos diurnos totalmente deslocado do seu horário habitual. O pequeno não conseguia entender o que adiantava o inseto acender, de maneira intermitente, o seu pequenino luzeiro, já que nada iluminava. Com essa duvida, procurou pelas explicações paternas:
- Papai, que baratinha é essa que voa e acende uma luzinha bem fraquinha na sua barriga? De que serve essa luz, se não ilumina nada?
 - Meu filho!  - disse o pai enlevado com a ingenuidade que caracteriza a inocência infantil. – Essa luz que nada ilumina de dia, à noite representa um verdadeiro farol que se movimenta na escuridão, meu filho.

Para refletir
Acredito que assim se passa com todos nós, amigo leitor! Todos temos com mais ou menos intensidade uma pequena fonte de luz como reflexo que somos da luz maior. Qualquer atitude no campo do amor ao próximo é um foco abençoado que se acende na jornada da vida de nossos companheiros, da mesma forma como vivemos necessitados da claridade alheia.
Uma palavra amiga,
Um sorriso sincero,
Um aperto de mão,
Um abraço impregnado de energias positivas e solidarias,
Um ouvir paciencioso,
Uma opinião franca,
Um silêncio diante do mal ou do pessimismo não os passando adiante,
Uma oração no início da manhã por um jovem drogado,
Uma prece por um lar que a morte visitou,
Nossa lembrança e presença juntos aos idosos em albergues, e as crianças nos abrigos,
O agasalho sem uso e doado a alguém,
O calçado esquecido que vá proteger os pés descalços do caminho,
O perdão de uma ofensa,
O silêncio diante da discussão que se aproxima como um ciclone avassalador,
A oração por aqueles que, no momento de confusão, nos desejam o mal,
Uma prece pelos países visitados pelas guerras, pela fome, pelas enfermidades...
São pequeninas luzes que iremos acendendo e apagando como o pequeno vaga-lume.
Para o sofredor, essa luz terá a intensidade de uma claridade muito importante na noite escura de sua vida, embora para nós possa não significar praticamente nada.
Por, isso amigo leitor, nunca desista de ser o vaga-lume do mundo mesmo quando para você for um dia bastante claro, porque sempre existirão aqueles que estarão vivendo a sua escuridão da noite do sofrimento. Com essas pequeninas atitudes que sempre poderá tomar, você estará construindo para si mesmo um bom dia perene!
      
¹ Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
Contato: edu.com28@yahoo.com.br
²imagem : https://31.media.tumblr.com/cf87f31e298bd18443cef1009d094791/tumblr_inline_namxefL

Written by Eduardo Campos all rights reserved.

5 comentários:

Lilian disse...

A cada visita, estou lendo um escrito seu. E a cada escrito, uma sensação de paz, não sei explicar Eduardo. Suas palavras mexem demais comigo, em vários momentos mergulho com o coração nelas. E isso me faz tão bem!
Eu amo seu blog, lindo mesmo. Parabéns novamente. rs

Anônimo disse...

Uma reflexão que mexe com cada um de nós! Temos que parar e pensar nisso e aprender a valorizar o que realmente vale a pena... Lindo demais.Bela escolha! beijos, linda semana e tuuuuuuudo de bom!

Anônimo disse...

Excelente texto para finaliza a noite e pra começar a semana.Viver é uma dádiva. quero ser seu vaga-lume.
Bjs

Anônimo disse...

O que é a vida se não servir e ajudar ?
Sem amor, sem gratidão a vida não é nada.amei o teu texto...

Ana Paula disse...

Simplesmente adorei o texto, Edu!!!!!
Realmente... " a luz seja ela uma pequena chama, sempre faz o escuro parecer menos perverso..."
Sempre associo luz a entendimento... um tema recorrente no seu blog... Cada vez mais, precisamos dela, neste nosso mundo tão atribulado...
Adorei seu post!!!Beijos!