quarta-feira, 10 de junho de 2015

É FÁCIL AMAR PARA SEMPRE QUANDO TUDO É BONITO!


"Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente. Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e não damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão. Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdade".
Zíbia Gasparetto


Às vezes o amor toma conta da gente sem pedir licença.
Chega devagarinho, muitas vezes disfarçado, invade e pronto: se instala!
O difícil no amor, uma vez instalado, é dar continuidade a ele, fazê-lo durar, ir além das descobertas do verdadeiro eu de cada um, tão bem disfarçado durante o tempo de conhecimento.
O amor, a princípio, nos dá essa ideia de eternidade, do ninguém mais me fará tão feliz e do não saberei viver sem você.
E não raras vezes descobrimos que essa eternidade é muito curta,  porque o amor não soube ir além, não soube guardar-se da dura realidade de cada um, do dia-a-dia que tortura com suas dificuldades.
É fácil amar para sempre quando tudo é bonito, cheio de promessas, mas amar quando as dificuldades chegam, quando é preciso tirar a cabeça das nuvens e colocar os pés no chão e os problemas arrebatam o sono e os desejos, isso sim é difícil.
*      Amar e dar continuidade ao amor,
*      É dar as mãos a ele,
*      Abraçar mais quando é de força que precisamos,
*      Compreender por dois quando o outro parece mais frágil,
*      Estar do lado,
*      Estender o braço,
*      Redobrar as forças,
*      O carinho a afeição e segurar a mesma tábua para atravessar as águas turbulentas.
O amor, para que cresça, continue, permaneça, pede apenas um pouco de compreensão e exige de cada um a humildade do saber-se não perfeito e amar o outro ainda mais quando as nuvens encobrirem o céu dos dois.
O verdadeiro amor exige acima de tudo o dar as mãos, o estreitar cada vez mais os laços do coração.
Com ele vivemos; sem ele, apenas passamos pela vida.

Pense com Edu! Ficar esperando que apareça o parceiro ideal para toda vida. Um ser perfeito, que irá saciar-lhes todas as necessidades de viver uma paixão, de curtir a vida a dois, de compreender tudo... É desconhecer que os amores não aparecem prontos, mas são construídos a dois diariamente.

Olá queridos leitores! Seja bem-vindo ao meu blog. O seu comentário é um incentivo a novos posts. Eles são a maior recompensa por cada pesquisa, cada palavra escrita. Então...Que tal deixar o seu recadinho? Vou ficar muito feliz em recebê-lo. Quem desejar ou quiser comentar enviar perguntas, depoimento ou sugestões de tema ao blog, basta enviar um e-mail para nosso endereço eletrônico:  edu.com28@yahoo.com.br
Aguardamos sua participação. Um abraço fraterno a todos do amigo Eduardo Campos


¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : Letícia Thompson
³ Fonte imagem : http://thumbor.guiame.com.br
Livro de Referência: O livro do amor I – da sedução ao casamento. Vários autores. Coleçoes Cara. 2014
Written by Eduardo Campos all rights reserved.
Fonte imagem:



13 comentários:

Anônimo disse...

É tão complicado definir um amor, na verdade amar é complicado... O amor vive de alimentos diários que muitas se escasseiam e aí perdem as máscaras e nascem as feras. O amor vive da utilidade que um gera no outro, se se perde esta cai o amor por terra e assume os espaços a frustrações e decepções...

Cleide disse...

Caro, Eduardo. Acho muito interessante as perguntas que aparecem por aqui assim como suas respostas que são dadas. Dá para refletir sobre diversas questões mesmo que não seja exatamente um problema meu. Há tempos que sempre digo que o amor é complicado demais! Essa é minha perspectiva de vida. Gostaria de ter uma opinião sua, já que você escreve tão bem sobre o tema, e até para saber se estou sendo muito radical. Obrigada!

Eduardo disse...

Bom Dia Cleide! Antes de qualquer coisa agradeço pelos elogios que você fez. Um dos objetivos do Educar Para Humanidade e este, ou seja, que as pessoas possam ler os textos, sinalizar ou até mesmo perguntar, e claro ter suas perguntas respondidas, mas que também possam refletir a partir das respostas dadas a outros usuários. Em relação à sua pergunta, Eu sempre digo Cleide "que nós é que somos complicados e não o amor. Em vez de assumir sua dificuldade, para modifica-la, as pessoas lançam a culpa nas “Dificuldades do amor”. Pense com Edu! Se você acha que o amor é complicado, pergunte-se e identifique objetivamente: “o que você pensa que esta complicado?”. Com certeza, você vai ficar surpresa ao descobrir as suas complicações. O amor é natural. Portanto, se as pessoas não o atrapalharem, ele irá seguir o seu curso com naturalidade. Pense nisso! Abraços, Edu!

Ana Clara disse...

Eduardo Campos, um texto perfeito sobre o amor! Veio justamente no momento que estou vivendo, o retorno de uma relação que na primeira fase baseou-se mais na paixão, naqueles momentos em que a cabeça se perde entre as nuvens e os pés nem querem tocar o chão. Agora, ambos tendo vivido a dor da separação, muito mais por intrigas, inveja, do que pela ausência de sentimentos. Tivemos uma história linda, com tudo para dar certo, profissões semelhantes, boa estabilidade financeira, e agora que o destino nos está dando uma nova chance vamos tentar novamente, sabendo que o amor requer cuidados, o relacionamento que se quer duradouro necessita de atenção, de buscar entender o outro, compreender que uma boa relação tem que ser construída com admiração, Confiança ,respeito, sinceridade, (como você disse em um dos texto “gotinhas do amor”), entendendo a vulnerabilidade do outro, suas fraquezas e seus momentos de incerteza. Buscar no diálogo as falhas que minaram o relacionamento até então, pontuar tudo aquilo que causou mágoas, que fez nascer dúvidas e proliferou incertezas (as ervas daninhas do amor como você diz). Acredito que agora estejamos prontos para viver um amor de verdade, para construir uma relação sólida. Por isso, amigo, adorei o texto escolhido, pois fala de todo o complexo que envolve um sentimento tão bonito e de tanto poder. Aliás, tenho sempre me beneficiado com teus textos que por vezes pareciam ter sido escritos para mim... As imagens de hoje me encantaram o olhar! Que a tua “semana do amor” tenha sorrisos espalhados por onde andares e que as estrelas possam enfeitar o teu olhar para todos os momentos que te acontecerem. Com carinho, Ana Clara!

Anônimo disse...

Eduardo tenho essa convicção comigo: Se doeu tem que falar. Se incomodou tem que explicar. Se tá ruim tem que ajeitar. Se estragou tem que consertar... Ou então jogar fora. Entende? Não dá pra passar a vida inteira com as coisas entaladas na garganta.

Eduardo disse...

Entendo você! Pense com Edu! Quando o casal perde o gosto por conversar, dialogar, por trocar ideias e por discutir as questões do quotidiano, sóbria ou apaixonadamente, é sinal de que a relação conjugal está correndo sérios riscos, riscos de serias enfermidades que poderão levar a morte...

Anônimo disse...

Belo texto sobre o amor, Eduardo! Ah, o amor doce sentimento que mexe com o coração da gente. Mas se não tiver bases sólidas, na primeira dificuldade pode ruir. Vejo acontecer isso quase sempre. Tudo são flores em tempos de namoro. É só assumir compromissos com casa, filhos trabalho... as dificuldades começam a aparecer. Este é o momento para se juntar as forças, evitar cobranças e ver a beleza de estar juntos em qualquer situação. "Cada um é responsável por suas necessidades " , como diz o texto e só amando a si mesmo em primeiro lugar, pode-se encontrar um verdadeiro amor. Bjs

Anônimo disse...

Eu acredito Eduardo que o amor para que perdure, após instalado, precisa de regas, de podas, de replantes sempre...Aí sim, veremos nossa arvorezinha do amor dar bons frutos e se manter firme !

Anônimo disse...

Bom dia, Eduardo. Amar, realmente é muito fácil no início quando os problemas da relação inexistem, passar pelas adversidades impostas pela vida e fazer com que o amor sobreviva e fique ainda mais sólido, certamente é uma grande prova onde a maioria é reprovada. Como queríamos que o amor nas relações fosse eterno, mas parece que sempre estamos sendo provados dia a dia e a estrutura de muitos ou a compreensão sobre o amor é quase nula, principalmente quando os desejos pessoais não são satisfeitos.

Anônimo disse...

É triste esta constatação, mas é a pura verdade! Como muito bem descrito no texto, o amor é difícil, mas existe! Mas eu achei as considerações da Zíbia Gasparetto tão reais, tão explícitas! Gostei demais Edu!

Anônimo disse...

Edu, gostei muito desse texto escolhido, e principalmente da citação inicial Amar não é fácil, uma vez que esperamos sempre que alguém nos faça feliz. Amar é doação, muitas vezes é sacrifícios, é querermos estar juntos sempre, e principalmente na tristeza do outro. Muito fácil amar, gostar quando tudo está bem. Não acredito nesse amor, num eterno oba-oba, Amor é coisa madura, sensível para ambas as partes, e ninguém tem de "levar" ninguém.

Anônimo disse...

Sábio texto você escolheu. A ilusão do amor leva muitos a decepções, naquela busca de preenchimento de necessidades que só nós podemos satisfazer. Não se vive sem amar, mas esse verbo tem sido conjugado sem enquadramento perfeito. Só existe amor quando nos preocupamos com o outro e quando permanecemos ao seu lado durante as tempestades, tão comuns em qualquer relacionamento.

Eliana Peixoto disse...

Oi Edu, uma semana realmente recheada de belos textos sobre o amor e o verdadeiro sentido do amor ágape. No texto de hoje bastaria só a imagem para contemplamos o que é amar dentro da dimensão que vens partilhando conosco durante esta semana. Concordo plenamente com você quando diz que os "os amores não aparecem prontos, são construídos a dois diariamente." Nos encantamos, nos apaixonamos, mas o amor nasce e vai crescendo dia após dia, a medida que vamos convivendo e alimentando nossa relação com as "gotinhas do amor", as "surpresas" que ajudam a relação não cair na rotina. Quem ama cuida, porque não quer perder a pessoa amada. Obrigada por todos os 'recadinhos' tem me ajudado muito. Bjs