terça-feira, 19 de janeiro de 2016

COMEÇANDO NOVO ANO



Já se aproxima fim do mês de janeiro, e muitos sinalizam: nossa mal começou o Ano Novo e o mês já esta acabando...
Aquele homem, desiludido e desacorçoado frente às dificuldades da vida, busca orientações junto a um sábio:
Senhor, eu me encontro sem vontade de viver neste mundo de tantos horrores e desilusões. Espero dia após dia e nenhuma melhora acontece em minha vida.
Parece que o mundo está todo contra mim. Resolvi que se, nesse novo ano, nada mudar comigo, desistirei de viver...
O sábio o deixou desabafar para melhor conhecer seu interior. Depois se manifestou:
Meu filho, de fato, um novo ano representa nova chance, novo recomeço... Deus é tão bom que nos permite oportunidades novas, em menores ou maiores escalas.
Todos sonhamos com mais facilidades para ascender na vida, mas ao mesmo tempo, nós mesmos criamos várias dificuldades.
Não esqueçamos que, quando o ano recomeça, recomeçam também as cobranças de antigas promessas, que não cumprimos. Por exemplo:
Se alguma ofensa nos dói na alma, isso nos indica que é hora de perdoar.
Se temos inimigos a nos espreitar com olhares de ódio, vamos aproveitar o novo ano, e nos reconciliar.
Se o desalento nos invade a mente, vamos realizar bem as nossas obrigações, e asserenar a consciência.
Se o trabalho não tem feito parte de nossas horas, vamos abraçar as obrigações, e semear a próxima colheita.
Se as indecisões nos prendem, é tempo de nos decidirmos pelo melhor.
Não esqueçamos que cada um de nós constrói o próprio destino.
As vicissitudes que nos assaltam, esperam nossas iniciativas para sua solução.
Deus nos permite tantas formas de vencermos nossos desafios. Basta que aproveitemos a nova chance para fazê-lo.
Embora os anos se renovem indefinidamente, nosso tempo na Terra é contado, não sabemos quando termina.
Nossa vontade portanto, deve ser direcionada na solução do problema que nos desafia.
Não há tempo para vacilos nem desânimos, a rotação do tempo se faz mais dinâmica, exigindo ações firmes e rápidas.
Quanto mais complicadas nossas questões, mais precisamos simplificar as nossas vidas.
Jamais desistir de viver. Sempre é tempo de novo recomeço.
Se queremos dar início a uma nova etapa, basta o novo ano que começa.

Refletindo com Edu!
Frente às dificuldades que a modernidade nos apresenta, sejamos mais práticos e objetivos. Frente a árduo reinício, saibamos simplificar nossas vidas.
Dessa forma, teremos mais tempo para o que realmente importa. Simplicidade em nossa maneira de ser, em nossas moradas, em tudo o que nos rodeia.
A vida traz em si tudo o de que realmente necessitamos. Somos nós que a complicamos.
Simplicidade é valor intrínseco da humildade, uma das maiores virtudes.
Oremos e vigiemos. Trabalhemos, no limite de nossas forças. Busquemos coroar nossos esforços, perseverando sempre.
Comecemos um novo ano, com disposição de nos enriquecermos espiritualmente e venceremos os desafios da vida.

¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : R M E - Em 30.12.2015.
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg


2 comentários:

Verônica disse...

excelente reflexão Eduardo...
Chegamos ao final de mais um ano, e como é de praxe, pegamos nossas calculadoras para fazer a famosa contabilidade existencial. Pensamos no que ganhamos, no que perdemos, quem ganhamos, e quem perdemos. E como não poderia ser diferente, todo ano começa com um senso de urgência de fazer mais e melhor a todo o custo, e a nossa famosa lista de resoluções tem mais cara de “DEVIA” do que “QUERIA”. Entrar (pagar) uma academia, perder 2 toneladas, trocar de emprego, comprar uma casa, um carro, etc, etc. Caracoles! Quanta responsabilidade, 2016! Tudo muito bacana e prático no papel. No papel. Ok, agora jogue o papel fora, e escreva na areia o que você realmente espera, deseja, aspira, sonha com o ano novinho que nasce nas badaladas do dia 31.
Já pensou quem você quer por perto?
Ou como vai visitar aquela amiga que mora longe?
Já listou os assuntos que tem atrasado pra falar com sua mãe? Ou o que quer ensinar pros seus filhos, irmãos, afilhados?
É fácil lembrar-se de pagar as contas, mas você já parou pra pensar também nas promessas que quer pagar? Pra você, ou pra um alguém tanto quanto especial?
2015 foi um ano muito difícil pra mim. Teve muito ódio no ar. corrupção, lava jato. Credo. Foi um ano de se despedir, de gente famosa, gente querida, gente insubstituível. Foi um ano de luta contra a inflação, luta contra os preconceitos, luta pela sobrevivência. Da vida e da fé. Quem não se pegou desacreditado com o amanhã em algum momento neste ano? Eu sei que sim. Mas como todo bom cristão, eu peguei meus pedaços do chão, e me reinventei pra seguir forte até dezembro. Ahhh dezembro! Esse mês mágico de renovações. E aí chegamos na reta final com aquela velha dúvida, mais um ano que termina, mais um ano suado e superado…
será mesmo que são os quilos na balança que pesam tanto? Ou são as outras metas mais importantes que esquecemos? Depois de calcular e recalcular as metas e objetivos, deitar e me revirar no divã, selecionei algumas resoluções para 2016...

Eduardo disse...

Bom dia Verônica, grato pelo seu comentário, lendo seu relato surgiu uma ideia de escrever um texto sobre " Resoluções para 2016",dai pensei "Resoluções?" não Eduardo esqueça as resoluções. O que você deve propor aqui são soluções mesmo... Estas aspirações que espero poder dividir com vocês, e com certeza pôr em prática com todos aqueles que fazem os meus anos bem vividos, valerem sempre a pena...