sábado, 16 de agosto de 2008

AUTOCONHECIMENTO DA SEXUALIDADE FEMININA

CORPO FEMININO: AUTOCONHECIMENTO DA SEXUALIDADE FEMININA


Parece-me importante fazer uma pequena excursão pelo corpo feminino, visto que é significativo o número de mulheres que desconhecem a anatomia de seus órgãos sexuais, levando a considerações distorcidas sobre a realidade dos mesmos.
Começamos a viagem pela mama, que embora não seja um órgão sexual, tem grande importância na sexualidade feminina pois esta associado a vaidade e a feminilidade da mulher bem como na sua auto-estima.
A glândula mamária esta localizada no tórax, em número de duas, sendo normal apresentar-se com discreta diferença de tamanho entre si. È formada por tecido glandular, o qual é responsável pela produção de leite no período grávido-puerperal, mediante um aumento do hormônio chamado Prolactina.
Na parte central do corpo mamário encontra-se o complexo aréolo- mamilar formado pela aréola a qual apresenta-se de coloração freqüentemente mais escura e pelo mamilo que recebe os ductos lactíferos provenientes do sistema glandular. È o mamilo um órgão eréctil altamente responsivo ao estimulo sexual, mas também ao frio, toque ou pressão.
Chegando a vulva, esta é formada pelos grandes e pequenos lábios, os quais possuem forma e tamanhos variados. No vestíbulo vulvar, encontramos o clitóris que é o principal órgão do prazer feminino. O clitóris é um órgão cilíndrico, erétil e retrátil, recoberto pelo prepúcio, sendo o análogo do pênis masculino. È dotado de intensa inervação sendo por isso muito sensível a estímulos tácteis. Durante o período de excitação, o clitóris torna-se ereto sendo facilmente visualizado na parte superior do vestíbulo vulvar, na confluência dos grandes e pequenos lábios, sendo novamente retraído a medida que se aproxima o orgasmo e durante o mesmo, quando vota a esconder-se atrás do prepúcio. Logo abaixo, encontra-se o meato uretral, ou seja, o orificio de saída da uretra. Vale dizer que embora o término do aparelho urinário esteja na região genital, este funciona independentemente , com funções próprias e distintas em nada tendo a ver com o sistema genital propriamente dito a não ser pela proximidade anatômica de algumas estruturas.
A vagina é um órgão com luz virtual, elástico e com profundidade variável. È na região superior da vagina, em algum lugar do terço distal que localiza-se o tão famoso ponto G, por vezes muito procurado e não tão facilmente encontrado. Por ser um órgão dotado de grande complacência, é capaz de acomodar pênis de diversos tamanhos e espessuras, exceto aqueles dotados de grande comprimento e que fogem das mensurações ditas normais. No final da vagina encontra-se o colo uterino, de grande importância pela facilidade de prevenção e diagnóstico precoce do câncer, através do exame de Papanicolao. É importante salientar que o pênis não ultrapassa o final da vagina sendo aí, em um lugar denominado de fundo de saco vaginal, que o sêmen é depositado após a ejaculação.
O colo uterino prolonga-se para dentro da cavidade pélvica onde encontramos o corpo uterino de forma semelhante a uma pêra. De cada lado do útero, superiormente, numa região chamada cornual, encontramos uma estrutura tubular; as trompas uterinas; que são responsáveis pela locomoção dos espermatozóides e do óvulo para a fecundação. Aliás, é nas trompas em que ocorre a fecundação e não no útero como muitos pensam.
Logo abaixo das trompas estão os ovários, um de cada lado, que são responsáveis pela produção dos óvulos e de hormônios, como os estrógenos e a progesterona, que regem o ciclo menstrual e que dão as características sexuais da mulher.
Com esta passagem breve e sem pormenores da anatomia feminina, espero ter contribuído para que mulheres e homens possam ter um mínimo de conhecimento a respeito do corpo feminino, condição por vezes indispensável para derrubar mitos e para a manutenção de uma vida saudável.

FONTE: Darci L. D. Janarelli.


Nenhum comentário: