quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

SOLIDÃO X AMOR: como você se sente hoje?





SOLIDÃO X AMOR: como você se sente hoje?



Só uma coisa me entristece: o beijo de amor que eu não roubei, a jura secreta que não fiz, a briga de amor que eu não causei.
SUELI COSTA



É muito comum as pessoas dizerem que sentem medo de ficar sozinhas no futuro. O fato, porém, é que essas pessoas já estão sozinhas. Mesmo que preencham a vida com uma série de compromissos, trabalhos e relações superficiais, não têm consciência da própria solidão. Quem teme ficar sozinho, tanto na meia-idade como na velhice, é porque já está tomando providências para que a solidão se instale. Já está programando um futuro solitário, passo a passo, com a vida que estruturou no presente.
O que é realmente a solidão?
Adaptamos um poema sobre a solidão, cuja autora quer se manter anônima:

Solidão é...
Olhar o telefone, ansioso por um chamado, e ele permanecer mudo.
Ouvir uma música e não ter ninguém com quem associá-la.
Querer dormir muito, para não ter a consciência de que está só.
Não ter ninguém com quem brindar um acontecimento.
Sentir frio e não ter um abraço para aquecê-lo.
Falar alto em casa, para ter a sensação de estar ouvindo algum ser humano.
Ter apenas um prato na mesa, às refeições.
Não ter alguém para lhe abotoar o vestido ou lhe ajeitar a gravata.
Sair de madrugada, tentando encontrar algum conhecido para poder desabafar.
Perceber que não tem um ombro para chorar.
Ler o jornal durante as refeições, por não ter com quem conversar.
Verificar que a correspondência se resume a contas e extratos bancários.
Nunca ter a quem dizer bom-dia, ao acordar.
Não ter quem lhe faça um chá, quando está indisposto.
Não ter a possibilidade de dividir o mesmo desodorante ou a mesma pasta de dentes.
Não ter alguém que lhe impeça o suicídio.
E você? Quando se sente realmente só?

Não há dúvida de que devemos criar momentos de isolamento, pois eles são um sinal da nossa mais profunda identidade. É bom ficarmos sozinhos de vez em quando para refletir em silêncio, para descobrir quem somos. Esse isolamento, no entanto, é apenas uma pausa para olharmos ao nosso redor, em busca do amor.
O isolamento não é solidão, mas um momento para estarmos conosco, em paz e harmonia. É uma busca interior, um movimento voluntário, uma virtude a ser desenvolvida que nos ajudará depois a encontrar melhor os olhos e o coração dos outros.
O isolamento contraria a essência do ser humano, que é amar e ser amado. A solidão é quando nos trancamos para o amor. É a incapacidade de se comunicar, de estar com alguém. Muitas pessoas, num ato de vaidade, podem até demonstrar orgulho por não depender de ninguém. Mas, depois de algum tempo, vão se tornando amarguradas e desesperadas.
O ser humano, mesmo se isolando, mesmo sabotando todas as formas de amor, continua, no seu íntimo, querendo amar. Não se sabe de onde, mas, de repente, aparece uma ânsia louca por alguém, por um amor duradouro, por uma intimidade diária, por uma convivência feita de pequenas circunstâncias diárias. Isso constroi...


FONTE: LIVRO AMAR PODE DA CERTO

3 comentários:

Janette Oliveira disse...

Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura. Essa intimidade perfeita com o silêncio. resta essa voz intima pedindo perdão por tudo. - Perdoai-os! porque eles não tem culpa de ter nescido.

Anônimo disse...

A solidão, é quando chamamos pro alguém e não somos ouvidos. é quando gritamos por socorro e somos ignorados, é quando sabem de nossas fragilidades e mesmo assim as ignoram. mas é verdade ninguém é reponsável pelo outro mas precisamos ficar atentos quando o outro precisa de nós pra seguir enfrente.
um abraço. Izolda

Eduardo Campos disse...

Você tem razão Izolda.
abraços do amigo edu