sexta-feira, 12 de junho de 2009

DIFERENÇA ENTRE PAIXÃO E AMOR



DIFERENÇA ENTRE PAIXÃO E AMOR


Quem tentar possuir uma flor verá sua beleza murchando.
Mas quem apenas olhar uma flor num campo permanecerá para sempre com ela. Você nunca será minha e por isso terei você para sempre.
PAULO COELHO


É comum confundir paixão com amor, embora eles sejam sentimentos bem diferentes. fim é tempestade, o outro é brisa; cada um tem sua beleza, sua força e sua intensidade.
Já houve quem dissesse que a paixão é um estado saudável de imbecilidade, um estado maravilhoso de estupidez e loucura transitória. Faz-nos desfrutar intensamente a relação, quando as máscaras e os controles são abandonados e se estabelece a entrega máxima, ainda que por poucos momentos.
É especialmente lindo quando à paixão se segue um estado de paixão pela vida: estar apaixonado pelos amigos, pelos pássaros, pelas flores, pelas nuvens, pela família, pelo trabalho, pelo sol, por tudo o que existe.
Quando a uma paixão amorosa se segue um período depressivo, geralmente isso é prenúncio de encrencas: desencadeiam-se desilusões, o que agrava o estado depressivo anterior. Ver alguém como a porta de saída de um estado de infelicidade é apenas aumentar a possibilidade de sofrimentos, porque ninguém salva ninguém.
É importante manter uma atitude de gratidão perante a vida. Agradecer às pessoas que cuidam de nós, ao porteiro do prédio, ao garçom, pois somente quando se aprende a viver em estado de gratidão é possível apaixonar-se pela vida. Numa das praias do Rio de Janeiro, as pessoas que ali estão no final do dia costumam aplaudir de pé o pôr-do-sol, como sinal de agradecimento por mais um belo dia de verão.
Uma das diferenças entre paixão e amor é o fator tempo. O tempo na paixão é limitado e no amor é infinito. Por alguns instantes, o simples contato da mão da pessoa apaixonada faz com que as cores fiquem mais vivas, os sons mais sonoros, que a pele trema, que apareça a sensação de buraco no estômago, que a respiração suba e desça, que as batidas cardíacas se acelerem e que o mundo pareça totalmente colorido e diferente. Quando as pessoas se afastam desse momento, é como se todas as luzes se desligassem, como se a energia do mundo acabasse.
Quando as pessoas se unem somente pela paixão, é comum que o relacionamento não dê certo, porque elas não se conhecem verdadeira e integralmente. É preciso ter também os pés no chão, pois elas vivem num mundo real, onde assuntos como dinheiro, casa, carro, comida etc. devem ser tratados em estado de amor.
A existência atinge o clímax da beleza quando se consegue estar apaixonado por quem se ama. A paixão é cíclica. Há dias em que se está mais apaixonado, dias em que se está menos apaixonado e dias em que a paixão se ausenta. Porém, continua-se amando sempre.
O escritor francês Balzac dizia que era mais fácil apaixonar-se por um novo amante a cada mês do que amar anos a fio a mesma pessoa. Por isso o amor verdadeiro é aquele que consegue eternizar a paixão. Músicas que se tornam imortais pelo significado que retêm, lugares que se tornam inesquecíveis, perfumes que nos fazem lembrar os primeiros encontros, tudo isso renova a paixão diariamente.
Só se pode falar em amor verdadeiro quando, em vez de eu e você, se diz nós. E só se pode falar em amor permanente ao se descobrir que o amor duradouro é aquele que se renova constantemente, apaixonadamente.
Muitas pessoas se perguntam como é possível evoluir da paixão para o amor. Simplesmente não é possível. São dois sentimentos distintos e paralelos, que seguem vetores de energia diferentes. Por isso às vezes encontramos pessoas que dizem amar alguém e sentir paixão por outro. No entanto, quando os parceiros se entregam profundamente um ao outro, com admiração, respeito e confiança, ousando amar com criatividade, não apenas se enamoram mas também se apaixonam todos os dias.
Não se pode transformar paixão em amor, mas sim amar apaixonadamente a pessoa amada. Quando isso ocorre é maravilhoso. É então que se descobre que o amor pode dar certo — e realmente dá.
Fonte: Amar pode da certo

3 comentários:

Anônimo disse...

Ola!
Li seu post dois dias depois de conversar a respeito e esclarecer os meus sentimentos junto ao meu parceiro com quem namoro ha quatro meses. Chegamos atraves d euma conversa que nao nos sentimos em pleno extase da paixao, mas que gostamos e admiramos um ao outro.
Foi bastante elucidativo. Estavamos esperando por algo que nao acontecia, ou pelo curto tempo ou por estarmos a espera de algo que nao existe no nivel concreto e sim emocional.
Agi de maneira preceptada e acabei tornando as coisas mais dificies afim de esclarecer os meus sentimentos junto a essa pessoa.
Agora que nao existe mais um relacionamento, mas ainda assim carinho e preocupacao. Me pergunto se seria mais sensato d eminha parte deixa do jeito que estar ou dá uma continuidade sabendo que ainda existe um gostar. Sera que o amor tem dessas coisas?

Edilaine disse...

O amor na minha visão pode ter muitos altos e baixos, mas mesmo assim o querer sempre estar com a pessoa amada. Sempre juntos, na alegria e na tristeza... sempre se renovando a paixão como disse, e existem muitas formas de fazê-lo.

Anônimo disse...

Muito bom o seu post, porém discordo de você quando diz que o amor não evolui da paixão.Primeiro vem a paixão e depois o amor.Se isto não acontecer estaremos afirmamos que existe amor à primeira vista.E isto é impossível haja vista o amor nascer de uma convivência.