domingo, 7 de novembro de 2010

Os Homens reconhecem a TPM da parceira, mas não sabem como agir para ajudar.

Imagem: Google



Segundo um estudo realizado pelo Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas (CEMICAMP) comprovou que os homens estão mais atentos e suscetíveis às mudanças de temperamento que ocorrem nas mulheres durante o ciclo menstrual. A pesquisa contou com a participação de 1.580 brasileiros, entre 20 e 35 anos, sendo 527 integrantes da ala masculina. Contrariando as expectativas, 62,1% dos entrevistados mostram-se solidários ao drama feminino desse período e buscam compreender o comportamento da parceira, enquanto 30,6% preferem evitar o contato e se mantêm afastados, evitando qualquer tipo de desentendimento.



A pesquisa, intitulada Tensão Pré-menstrual: Perspectivas e Atitudes de Mulheres, Homens e Médicos Ginecologistas no Brasil , também revelou que, apesar de ser um assunto comum, as pessoas não estão abertas a discussões sobre o tema. O comportamento padrão é apenas esperar que os sintomas passem, sem procurar ajuda, o que acaba agravando o mal.



As portadoras de TPM preferem recorrer, principalmente, a familiares ou amigas. Somente 35,7% afirmaram que buscam auxílio médico, enquanto 28,7% conversam com o marido ou namorado. Para o ginecologista e coordenador da pesquisa Carlos Alberto Petta, o maior ganho do estudo foi constatar que os homens evoluíram e passaram a participar mais ativamente da vida das parceiras. O público masculino se considera mais compreensivo do que as mulheres acham, prova disso é que eles estão mais vulneráveis as mudanças de humor e acreditam que esse período interfere em toda a rotina da mulher, afirma o profissional.



Cerca de 70% dos participantes masculinos declararam que vivem ou já viveram com mulheres que apresentavam os sintomas da TPM e percebiam os impactos do mal na qualidade de vida delas, porém, apesar da disposição para ajudar, reconhecem que não sabem quais são as atitudes mais corretas a serem tomadas.



Ao falar de tensão pré-menstrual, a famosa "TPM", lembro-me de uma pergunta feita pelo ouvinte (homem) em uma das minhas palestras sobre sexualidade humana, que transcrevo na integra para vocês.



* Professor minha parceira sobre de TPM com alterações repentinas de humor! Gostaria de saber como devo me portar a essas alterações para não alterar ainda, mas seu estado emocional!



Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pela sua pergunta. De fato, as mulheres ficam com sintomas tanto físicos, como emocionais e comportamentais nesse momento. Vou elencar algumas dicas que irá ajudá-lo a lidar e manter seu relacionamento bem saudável:



O interessante é deixá-la um pouco na “dela” e, ao mesmo tempo, se fazer presente, dar muita atenção e carinho, já que é um momento também em que a mulher se torna uma pessoa extremamente explosiva e com pouquíssima paciência. Ou seja, a sensibilidade e a carência estão presentes, em menor ou maior grau, e ela precisa de carinho! Parece uma idéia louca deixá-la na dela e ser presente, mas com o tempo, entende-se o significado disso; Outra dica é evitar conversar sobre assuntos que a deixe ainda mais irritada, então somente responda todas as perguntas que ela fizer e sempre dê a razão para ela e não aceite as brigas que normalmente elas sempre adoram neste período; Jamais diga a uma mulher que ela está de TPM, pois nenhuma mulher por mais que saiba que está de TPM gosta de ouvir isso de seu parceiro e poucas admitem que seja afetada pela TPM, normalmente nesta época as mulheres ficam com a auto-estima baixa e não querem que o seu amado piore ainda mais isso. Não fique reparando nos hábitos alimentares de sua parceira no período de TPM, pois algumas não comem absolutamente nada, agora em compensação outras comem tudo que vêem pela frente, mas lembrem-se tudo isso é culpa dos hormônios. De acordo com nutricionistas, consumir os alimentos certos pode ser um fator decisivo para evitar as brigas e mal-entendidos.
Confira as dicas da profissional:
- Pequenas refeições em curto espaço de tempo, ricas em carboidratos integrais, melhoram sintomas como a tensão e a depressão.
- Algumas vitaminas contribuem para o alívio do mal, diminuindo a ansiedade (tensão nervosa, variação de humor e irritabilidade), como a B6, que pode ser encontrados em banana ou couve-flor;
- A vitamina E, especificamente, alivia os sintomas da sensibilidade mamária e o magnésio diminui a retenção de líquidos e a vontade de comer doces.
- A soja contribui muito para os sintomas físicos da TPM, pois possui cálcio e isoflavonas, que agem no organismo diminuindo significantemente quadros como a enxaqueca, cólicas e inchaço.
Enfim, muito jogo de cintura conta nesse momento, além de conhecer o outro (a mulher com TPM) pode ser vital para saber o limiar de cada coisa nesse período. É claro que mulher não é tudo igual como parece e que mesmo sabendo-se de forma geral como lidar com isso, sempre prevalecerá às particularidades de cada uma. O intuito aqui foi apenas sinalizar alguns caminhos que podem ajudar.



* Pergunta extraída do livro: “Duvidas e impertinências sobre sexualidade humana” autoria do Profº Eduardo Campos.

Nenhum comentário: