segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Eu tenho boca é pra falar...

“Eu tenho boca é pra falar”...



Observo que há muita necessidade de silêncio nos dias atuais... As pessoas ansiosas por se fazer ouvir, falam cada vez mais alto, como se isso bastasse para que os outros as escutassem. Que ver um exemplo: Em restaurantes, shoppings, filas, salas de espera, salões de beleza, aeroportos, se ouvem os falatórios. E, para aumentar o ruído, em alguns lugares tem um som ambiente mais alto ainda que o ambiente... Vai entender!
E, quando não se tem alguém para falar, o celular serve. A pessoa faz uma ligação e se esquece de que está dividindo o ambiente com outros indivíduos, que não estão interessados no seu assunto. É impressionante como as pessoas falam  muito, e falam alto... Além de ser um grande desrespeito aos ouvidos alheios, essa gritaria torna impossível um diálogo entre pessoas de voz moderada, nesses ambientes comuns.
Mas não é só a falta de silêncio exterior que assola muitas pessoas hoje em dia. É também a falta de silêncio interior.
Poucos indivíduos ouvem a própria voz e analisam seus pensamentos antes de exteriorizá-los.
O hábito de meditar antes de expor uma opinião ou um julgamento, é muito pouco cultivado em nossa sociedade. E isso tem sido motivo de desarmonia e intrigas, de mal-entendidos e hostilidades.
Saber calar, saber ouvir, ser senhor de suas palavras e de seus sentimentos é um desafio que merece ser pensado. Talvez, foi por ter percebido essa necessidade em nosso meio, que um ser iluminado por Deus, chamado Marie-Chantal Dufour Eisenbach nos presenteou com a seguinte mensagem intitulada saber calar que compartilho com vocês:

Para refletir

1º - Aprenda a calar o pensamento cruel que lhe passa na mente e que, por invigilância, nele você se detém mais do que deveria.
2º - Aprenda a silenciar a palavra que sai gritada de seus lábios, ferindo a sensibilidade alheia e lhe deixando à mercê de sentimentos nada agradáveis.
3º - Aprenda a silenciar a palavra suave, mas cheia de ironia, que sai de sua boca ridicularizando, humilhando a quem se dirige e que lhe intoxica, provocando a dor de estômago, as náuseas ou a enxaqueca.
4º - Aprenda a silenciar o murmúrio que sai entre dentes, destilando raiva e rancor e atingindo o alvo, que fere como punhal, ao tempo que lhe fragiliza a ponto de não se reconhecer, de se assustar consigo mesmo.
5º - Aprenda a calar o julgamento que extrapola o que vê e o que sabe, levando-o a conjeturar sobre o outro, o que não sabe e não viu, plasmando ideias infelizes.
6º - Aprenda a calar todo e qualquer sentimento indigno, zelando pelas nascentes do seu coração, para que não macule e não seja maculado.

Finalizando para recomeçar...

Aprenda a vigiar os sentimentos para que cada dia, mais atento e vigilante se torne... E, enquanto não consegui deixar de gritar, falar, murmurar, pensar cruelmente e julgar, insista em orar nesses momentos. Nem que as frases lhe pareçam desconexas e vazias de sentimento. Insista na oração até que, um dia, orará não com palavras nem pensamentos, mas será sentimento por inteiro, amor, amor puro e verdadeiro, envolvendo os outros e a si mesmo...

¹ Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
Contato: edu.com28@yahoo.com.br
² Fonte texto : Redação do Momento Espírita, com base em mensagem do Espírito Stephano psicografada por Marie-Chantal Dufour  Eisenbach, na Sociedade Espírita Renovação, em 14/03/2005.
³ Fonte imagem :http://4.bp.blogspot.com/_0soyoga-natureza.jpg


Written by Eduardo Campos all rights reserved.

4 comentários:

Anônimo disse...

Um belo texto Eduardo, Só conseguimos sentir alguém se o ouvirmos .Saber ouvir é amar o outro, é dar-se para entender. Obrigada pela mensagem, um abraço grande, continue escrevendo textos maravilhosos e uma bela semana...

Liz disse...

Ouvir é mais que ficar em silêncio e deixar o outro falar. Todos percebem quando não há entrega por parte de quem nos ouve. Fazê-lo com o coração é ato de generosidade que beneficia os dois lados. Uma bela postagem, parabéns Eduardo. Bjs.

Claudia disse...

Lindo texto sobre o saber falar é mesmo uma arte e deve ser exercitada. Tantos precisam aprender a calar, apenas isso! Enquanto isso, outros apenas despejam...

Anônimo disse...

Nossa adorei, belas palavras.É to precisando praticar um pouco isso..rsrs Falo demais e ouço mt pouco..