segunda-feira, 25 de maio de 2015

EU COM CIÚMES DE TI!


O ciúme pode ser projetado em uma pessoa quando a admiramos ou quando nos criticamos, baixando nossa auto-estima. E, dessa forma, estabelecemos um relacionamento inferior/superior com o parceiro. É importante salientar que, na maioria das vezes, as características que admiramos no outro são potenciais que temos e que podemos desenvolver.

Quando uma relação se inicia, toda a energia despertada por ela, inevitavelmente, leva os parceiros às alturas. Por si só, é um grande às duas pessoas envolvidas, que se tornam mais belas e atraentes quando estão amando. O ciúme é um sentimento natural dos animais superiores e vem  acompanhado de atitudes que visam preservar o objeto de amor. Quando existe dessa maneira, ele é um elogio ao outro. Mas muitas pessoas se aproveitam desse comportamento natural para colocar uma série de elementos mesquinhos, de manipulação do outro, de possessividade e de alienação.
Porém, depois de um tempo, delineiam-se os contornos dos vazios e despontam as dificuldades. É nesse momento que começa a gangorra das relações: um fica por cima e o outro por baixo e, para subir, geralmente o que está por baixo acaba convidando o outro, através de variados estímulos, a descer. É nessa gangorra que o ciúme se instala. O ciúme pode ser projetado em uma pessoa quando a admiramos ou quando nos criticamos, baixando nossa auto estima. E, dessa forma, montamos um relacionamento “inferior-superior” com o parceiro. É importante salientar que, na maioria das vezes, as caracteristicas que adimiramos no ourtro são potenciais que temos e que podemos desenvolver.

Para Refletir
O importante é a observação de que, na maioria das vezes, por trás de uma manifestação de ciúme há um apelo para o amor. E, dependendo da compreensão de cada um, poderá ocorrer o crescimento ou o fracionamento da relação. O ciúme, em geral, nasce da percepção de que não se é tudo para o outro. Existe, é claro, o lado real, a ser aceito, de que ninguém pode preencher completamente as necessidades do outro. Mas, por outro lado, devemos ter o cuidado de não tratar a relação com menosprezo, pelo fato de ela não ser algo que vai preencher-nos totalmente.
Uma medida importante para evitar o ciúme desnecessário é o casal fazer um “acordo” ou “contrato” sobre as coisas que vão ser exclusivas entre eles, e que as partes cumpram os compromissos assumidos. Algumas pessoas sentem-se desprotegidas se o outro não expressa o medo de perdê-las. Então, muitas vezes, o parceiro começa a manifestar ciúme somente para deixá-las satisfeitas. No entanto, fingir algo que não sente cria uma dose de insegurança em relação à veracidade do seu sentimento. Muitas vezes, dá-se o nome de ciúme a uma sensação que é apenas tristeza por se sentir preterido, por se perderem as esperanças de continuar com o ser amado.

Finalizando para recomeçar
É inegável que todos nós, em algum momento de nossa vida, e em graus diferentes, experimentamos a sensação de ciúme. O que mais importa não é tanto se esse senti mento tem a ver com a realidade ou não, mas o que fazemos com ele. Ficar se consumindo de ciúme provoca corrosão no relacionamento. O mais indicado e eficaz é declará-lo à pessoa amada. Dizer-lhe que está com ciúme e pedir-lhe que não repita determinadas condutas que o machucam tanto. Na maioria das vezes, quando a relação  é vivida com amor  e os dois querem mantê-la, atitudes provocadoras de ciumes poderão ser eliminadas.
Há mulheres que ficam possuídas pelos ciúmes pelo simples fato de o homem que elas amam olhar para outra mulher bonita ou elogiar alguém. O mesmo acontece com o homem em relação a mulher. Isso é típico da falta de segurança. Admirar as qualidades de outra pessoa pode não significar nada além disso. Mas o outro, provavelmente,começa a fantasia. “Se está tão interessado nele é porque não esta bem comigo, não gosta dem mim!” na verdade, poderia haver esse alguém – apenas uma admiração.
Vamos fazer uma reflexão, partindo do principio de que, para que se sintam ciúmes, é necessário que exista algum comprometimento afetivo, por menor que seja. Que situações podem levar alguém a sentir ciumes?
*      Ver o amado conversando animadamente e feliz com uma pessoa desconhecida.
*      Quando a pessoa amada demora para chegar em casa ou  ao encontro marcado, e não se sabe onde ela está.
*      Em momentos em que o companheiro é muito elogiado por outra pessoa.
*      Em ocasiões em que a companheira prefere a companhia de um amigo à sua.
*      No dia em que se descobre que o homem amada deu um presente bonito a outra mulher.
*      Quando alguém tem, para com outros, atitudes que o parceiro gostaria que tivesse com ele.
*      Na hora em que surge um novo amigo, sem ser do casal.
*      Se o parceiro está demostrando algum tipo de conflito e fica em silencio sem dizer o que sente.
Poderia enumerar muitas outras situações que normalmente fomentam ou despertam ciúme, mas essas são suficientes para fazermos uma analise e concluirmos que, em todas elas, existe um ponto em comum:  o fato de não se ter controle sobre as ações e os pensamentos do outro; de não admitir que o outro é um ser individual, autônomo e que sua individualidade precisa ser respeitada. Estar com amigos, conhecer gente nova, presentear, receber elogios, ficar em silêncio e tantas outras situações não significam, necessariamente, que o amor ou a relação estejam em perigo.
Nada impede que façamos perguntas à pessoas que amamos, não com o intuito de contrá-la, mas para participar mais de sua vida, ou até evitar que os monstro da imaginação criem historias fantásticas. Em alguns casos, as atitudes do outro que nos incomodam são a mesma que desejamos ter, mas que, por nossos bloqueios internos, não atuam.

¹ Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
Contato: edu.com28@yahoo.com.br
³ Fonte imagem :http://doutissima.com.br/content/uploads/2013/12/tumblr

Written by Eduardo Campos all rights reserved.

8 comentários:

Anônimo disse...

Pareço o Ultraje a Rigor. Hehehehehe! Mas eu me mordo de ciúme... Brincadeira. Mas sério agora. Ciúme tem seus prós e contras por causa da desconfiança.

Paulo - disse...

Infelizmente sou assim. Sempre controlador, ciumento e possessivo. Isso é muito ruim e para mim está sendo difícil lidar com tal situação.

Emilinha disse...

Meu namorado também é assim como vc, e eu sofro demais com isso vc ñ imagina o quanto isso machuca no próximo. Te desejo felicidades e peço a Deus q ajude meu namorado tbm por que se não o jeito vai ser terminar, jogar 4 anos de namoro fora por coisas banais. Fique com Deus meu amigo e melhoras pra vc. Bjjsss me identifiquei com seu comentário.

Paulo disse...

Na verdade tais sentimentos começam a fazer mal a nós mesmos. E, lógico prejudica muito a pessoa que amamos, não é fácil deixar/abandonar uma personalidade que foi aprendida durante toda uma vida. Estou confiando em Deus para obter cura interior e procurando compreender-me, aceitar-me e amar-me. Acho que isso vai ajudar bastante. Grande abraço pra você e torço para que seu relacionamento dê certo.

Anônimo disse...

li o seu texto e gostei acho que vai me fazer bem, eu sofro deste descontrole emocional to com aquela piração. isso porque amo demais a pessoa que estava comigo. digo isto porque sufoquei ele demais com cíume doentio .agora que eu perdi to sofrendo muito. vou fazer um tratamento. fé em deus sei que vai me ajudar.

Anônimo disse...

Eu assumo- me ciumenta…..demais, li todo o texto e eu mesma muitas vezes penso, sou ciumenta! ja tive relaçoes anteriores q acabaram por estes meus ciumes,mas eu nao consigo controlar,penso sempre vou ter calma e nao vou fazer ou ser assim,mas é algo que quando dou conta ja está feito....

Anônimo disse...

O ciume é uma praga, destrói qualquer relacionamento. O pior é que a pessoa ciumenta, obsessiva, dominadora e possessiva pensa que seu comportamento é normal, justo, necessário, só que ele tem justamente o efeito contrário. Se ele ou ela quer se livrar de "ameaças" vasculhando a vida do companheiro (a) ou invadindo sua privacidade, acaba empurrando o companheiro (a) para outros braços e estimulando o companheiro (a) a infidelidade (digo infidelidade porque em relacionamentos não há traição, porque nada ou ninguém é de ninguém, porque ninguém é objeto para ser posse de quem quer que seja, por mais que se goste dessa pessoa com quem se convive).

Anônimo disse...

No meu relacionamentos anteriores fui traída em todos, tenho um trauma horrível de traição, na época num tinha ciúmes e fui traída, agora com medo de perder sempre me vejo inferior, preciso de ajuda, estou desempregada, tudo ao mesmo tempo, por favor me indique um livro. fico no aguarde.