sábado, 13 de junho de 2015

5 RECADINHOS DO SANTO ANTÔNIO PARA CONVERSAR ANTES DO CASAMENTO


 “O problema do casamento são as diferenças de expectativas: a mulher acha que o homem vai mudar após o casamento, enquanto que o homem acha que a mulher não vai mudar após o casamento”.
Autor desconhecido

É, sem dúvida, uma sensação emocionante quando o seu parceiro pede sua mão. Sua primeira reação é contar a seus entes queridos a boa notícia. Mais tarde, você começa a pensar quando será o momento certo para o casamento, os preparativos e se tudo será como o esperado. Mas você e seu parceiro já conversam sobre a vida como marido e mulher? Quando se trata de objetivos futuros estão ambos na mesma sintonia? Além de falar sobre o casamento, é sábio discutir a vida como um casal antes de avançar.
Graças a experiência do meu primeiro casamento, eu aprendi que determinados temas eram importantes para se discutir já que eu planejo o me casar novamente. Acredito que no futuro próximo quando, pensar em casar pela segunda vez, eu já tenha tido essa conversa com o minha parceira. Um dialogo aprofundado antes tornará as coisas mais fáceis.
A maioria das pessoas discute sobre a vida juntos antes do noivado ou quando sabem que seu relacionamento é sério. Mas há algumas pessoas que conheci ao longo da vida, que se casaram com base em uma fantasia. Infelizmente, seus casamentos deram uma guinada para pior.
Aqui estão cinco “recadinhos do Santo Antônio através de temas” para discutir com seu parceiro antes de dar o grande passo.

1. O passado
Você deve ser muito claro sobre o seu passado. Muitas pessoas não têm nada com que se preocupar, mas algumas sim. Pergunte a si mesmo se existem questões não resolvidas que têm potencial de trazer problemas ao seu casamento. A única coisa que você está tentando evitar é que o problema apareça mais tarde em seu casamento feliz.
Pense com Edu! Não deixe o passado atrapalhar o presente. Todos nós temos curiosidades sobre o passado de nossos parceiros. Queremos saber de seus relacionamentos anteriores, principalmente os mais sérios. Entretanto, a excessiva curiosidade sobre esse assunto pode ser perigosa. Ela alimenta preocupações, comparações e, basicamente, conflitos. Você não está competindo com antigos parceiros - e eles só farão parte de seu relacionamento se os seus ciúmes e temores permitirem. Nada que você faça ou diga poderá mudar a historia de seu parceiro. Mas, se você usufruir o que está vivendo no presente e não ficar insistindo no passado poderá revigorar o futuro de seu relacionamento.

2. Metas
Vocês respeitam os objetivos de cada um? Vocês dois estão dispostos a apoiar os objetivos um do outro? Será que as metas podem ser conciliadas como um casal? Se você puder responder sim a qualquer dessas perguntas, você e seu futuro cônjuge estão dispostos a trabalhar como uma equipe. Se não, você deve reavaliar o relacionamento.
Pense com Edu! Compromisso significativo é compromisso mútuo. Por maiores que sejam sós os seus esforços não são capazes de tornar um relacionamento saudável ou feliz. Um relacionamento requer o esforço mútuo de dois parceiros. Não basta que uma das partes esteja empenhada, é preciso que ambos desejem igualmente fortalecer seu compromisso. Num time de remadores, todos precisam se esforça, mas ninguém pode desenvolver um esforço maior do que os demais, sob pena de fazer o barco rodar. Isso também é verdade nos relacionamentos.

3. Moradia
Uma vez casados, vocês começam a poupar dinheiro para pagar uma casa. Quando têm dinheiro suficiente guardado, você e seu cônjuge começam a procurar a casa. Você prefere um local, enquanto seu cônjuge prefere outro. Você quer ficar perto da família, enquanto o outro quer uma área distante. Se o local de vida nunca foi discutido, a tensão vai crescer em seu casamento. Busquem uma solução que possa contentar a ambos.
Pense com Edu! Mesmo num relacionamento, você é uma pessoa a parte. Relacionamentos fortes e saudáveis são construídos sobre fundamentos de igualdade. Mas trata-se de igualdade de direitos e não características pessoais. As relações felizes alimentam os sonhos de ambos os parceiros e ajudam a realiza-los, mesmo que sejam diferentes. Não é possível realizar os sonhos de um deles à custa dos sonhos de outro.

4. Filhos
Você sabe que quer se tornar um pai ou mãe, mas você tem certeza sobre o seu parceiro? Seu parceiro talvez tenha mencionado que queria crianças no passado, mas pode ter mudado de ideia. Se você não abrir o tópico apenas para se certificar, pode depois ter uma surpresa - seu cônjuge não quer filhos. A paternidade não é para todos. Discutam essa questão antes de caminhar até o altar. Essa é uma imensa responsabilidade.
Pense com Edu! Decida por conta própria. Entre as muitas pressões que sofremos estão as de amigos e familiares que, com a melhor das intenções, perguntam: “Quando vocês vão se casar?” ou “Quando vão ter filhos”. Essas perguntas correm o risco de serem sentidas como pressões para agirmos segundo algum padrão externo. Se valorizarmos muito a pessoa que as faz, poderemos tomar decisões que não dependem de nosso desejo ou de nossas possibilidades. Quando fizer algo, deve ser decisão sua. Não podemos passar nossas vidas procurando a aceitação dos outros, porque isso compromete nossa capacidade de conquista a aceitação da pessoa mais importante para nós: nós mesmos.

5. Finanças
Muitas vezes, o dinheiro é a causa de problemas no casamento. Por exemplo, você ganha mais que o seu cônjuge de forma que há expectativas de que contribua mais para as contas. Você quer manter a sua conta bancária pessoal, mas o seu cônjuge quer juntar seus recursos. O outro quer o controle do orçamento, mas você se sente confiante em lidar com o planejamento financeiro. A conversa sobre finanças é muito importante. Você deve ter um plano financeiro em comum com o seu parceiro para que não haja surpresas desagradáveis no futuro.
Pense com Edu! Dinheiro não compra felicidade, mas pode comprar estresse. Qual é a parte mais importante de sua vida? Não é dinheiro. Nunca foi e nunca será. Mas quantas vezes uma desavença por causa de dinheiro – como gastá-lo, como ganha-lo, quando é suficiente – impediu que você desfrutasse o tempo que passa com quem você mais gosta? Quando permitimos que temas superficiais atrapalhem o que é importante, nossos relacionamentos deixam de ser saudáveis. Ficaremos perturbados se não tivermos dinheiro suficiente e decepcionados quando tivermos, pois constataremos que ele não nos trará a alegria e a satisfação esperadas. Coloque o dinheiro no lugar certo – atrás daquilo que realmente tem importância em sua vida.
O casamento é um compromisso sério. Ter uma conversa com seu futuro cônjuge é uma atitude sábia que pode ajudar a evitar possíveis dificuldades.

. Olá queridos leitores! Seja bem-vindo ao meu blog. O seu comentário é um incentivo a novos posts. Eles são a maior recompensa por cada pesquisa, cada palavra escrita. Então...Que tal deixar o seu recadinho? Vou ficar muito feliz em recebê-lo. Quem desejar ou quiser comentar enviar perguntas, depoimento ou sugestões de tema ao blog, basta enviar um e-mail para nosso endereço eletrônico:  edu.com28@yahoo.com.br
Aguardamos sua participação. Um abraço fraterno a todos do amigo Eduardo Campos


¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : Mayra Bitsko. adaptado por Eduardo Campos do original 5 topics to discuss before marriage
³ Fonte imagem : http://www.intercambio7.com.br/sims-e-naos-para-seu-intercambio.jpg
Livro de Referência: Niven Davi. Os 100 segredos dos bons relacionamentos. Rio de Janeiro: Sextante. 2013
                                 Website: http://mrsmbitsko.co
Written by Eduardo Campos all rights reserved.



9 comentários:

Anônimo disse...

Excelente! Já o título me prendeu a curiosidade e acertei ler seu post! Você, Edu, garimpou e nos premiou com belo post; e com riqueza de detalhes e sensibilização - o mundo que nos cerca! Valeu mesmo! Obrigada!

Anônimo disse...

Palmas! Fantástico! Amei o texto Edu, me provocou muitas reflexões e ideias para um novo post!

Anônimo disse...

Bom dia Drº Eduardo! Eu e meu noivo estamos prestes a casar, ele agora esta com uma crise de desconfiança devido a alguns problemas relacionado ao meu passado e o nosso futuro, com isso acabamos terminando e eu quase fiquei com outra pessoa. mais ja conversamos e decidimos ficar juntos e nos casar mais agora ele está muito desconfiado meio ignorante não sei mais o que faço. Você poderia me ajudar?

Eduardo disse...

Bom Dia! Obrigado pelo seu comentário! Eu não sou Doutor! Rs! Gostaria que você me chamasse de Amigo, Edu, Eduardo, enfim, mas não de doutor, ok! rs! Praticamente todos os dias, respondo a uma pergunta. Seja de pais, professores, crianças, estudantes, amigos… Não como Enfermeiro, não como professor ou pedagogo. Mas como indivíduo que têm como orientação a ética em todas as relações sociais. Tudo bem?
Mas vamos para as respostas: 1 - Se não tem certeza, melhor esperar para tomar uma decisão. Continuem a namorar. O namoro prepara para o casamento. É o tempo para descobrir e aprender a conviver com as alegrias e as dificuldades. É o tempo de “treino”, para se conhecerem melhor. Confiar um no outro é uma premissa importante para dar início a uma nova união. 2 - O futuro é mais importante do que o passado. Quando um relacionamento tem uma historia de sucesso, alguns podem imaginar que a tarefa já foi cumprida. Mas isso é tão falso quanto imaginar que jardineiros bem-sucedidos não precisam molhar as plantas e podá-las depois que elas crescem e florescem. O fato de ter confiança em seu relacionamento significa que você sabe o que precisa ser feito, e não que pode ignorar as atitudes necessárias para mantê-lo. A tarefa de manter um relacionamento bem-sucedido nunca termina, pois ele é uma construção para o futuro e não uma simples continuação do passado.

Paula Azevedo disse...

Edu sem conhece-lo pessoalmente, tenho muito carinho por ti. Agradeço a uma amiga sua por compartilha seus textos comigo, pois sem ela não teria conhecido seu trabalho! Um abraço.

Anônimo disse...

Bom Dia, Edu, estou lhe escrevendo porque não sei mais a quem recorrer, primeiramente gostara de parabenizar seu trabalho, pois faz uma grande diferença em nossa vidas, li seu texto de ontem e confesso que estava ansiosa pelo texto de hoje... Sou noiva a 2 anos e 4 meses, moramos juntos dentro da casa de meus pais, pois decidimos que se meu noivo ficasse em nossa casa, conseguiríamos juntar dinheiro mais rápido para casar….Eu não estou muito segura, eu sempre tomo todas as decisões, pois ele é ansioso e sempre toma as decisões erradas, então sempre dou a ultima palavra... Pergunto-te o que faz do relacionamento um verdadeiro casamento?

Eduardo disse...


Bom dia! Obrigado pelo seu elogio! li seu comentário e achei muito interessante, mas gostaria muito que você própria o lê-se novamente, observe que você cobra muitas coisas do seu “Noivo”, que mais parece marido, você espera que ele tome mais decisões e não deixe tudo nas suas costas, mas você o classifica como “ansioso e sempre toma as decisões erradas”, será que você tem deixado ele tomar as decisões certas, ou você sempre acha que as decisões dele que são erradas?, Já em relação o que faz do relacionamento um verdadeiro casamento? Pense com Edu! Existem casamentos que duram para sempre e casamentos que duram dias. Existem pessoas que moram juntas a vida inteira e pessoas que moram juntas durante um curto período. Não é o nome que se dá ao relacionamento que determina a sua qualidade ou o tempo que ele durar. Decisões sobre como e com quem vai passar a sua vida são sempre importantes, mesmo que não se trate de um casamento formal. A necessidade de assumir um compromisso e de ser fiel a alguém que se ama é essencial, dentro ou fora do casamento. Um relacionamento é o que duas pessoas fazem dele e só pode florescer se essas duas pessoas forem capazes de fazê-lo durar – independentemente do nome que tenha.

Anônimo disse...

Obrigadaaaa Eduardo! vou procurar pensa diferente e tentar colocar em pratica tudo aquilo que estou aprendendo aqui no blog contigo...

Anônimo disse...

Em geral, os homens sao dependentes das mulheres e passivos. Por isso, o melhor é namorar. Do contrario, a vida vai ser só estresse.