domingo, 12 de julho de 2015

APAIXONE-SE POR UMA PESSOA QUE AINDA VAI NASCER.


        Sempre que um novo dia amanhece e os nossos sentidos buscam captar as belezas que nos cercam, temos vontade de abrir as janelas da alma e inspirar com força a brisa fresca que brinca com a folhagem verde, contemplar o alvorecer do dia de hoje ou despedir-se do sol, quando o crepúsculo enfeita a noite com seu manto negro bordado de estrelas...
        Mas você está vivo!
        E quando muitos não percebem sequer os canteiros floridos onde as borboletas bailam e o gramado se espreguiça, estendido como um tapete verde e macio, convidando a brincar...
E enquanto outros saem apressados para suas atividades do dia, sem se dar conta de que hoje é o nosso melhor momento, um poeta se deteve para escrever este belo conselho em forma de poema:

Apaixone-se pelo mistério que nos cerca, pelo ar que você respira, pelas árvores e pelas estrelas.
Olhe com atenção para as flores. A visão é antes uma ação do cérebro que dos olhos.
Ouça o vento nas folhas, o canto dos pássaros e o tagarelar das crianças.
        O ouvir é uma arte que depende mais da mente que do ouvido. Olhos e ouvidos são canais fantásticos que levam mensagens até você; eles serão inúteis se, em sua alma, não habitar a vontade de ver e de ouvir.
        Apaixone-se por sua capacidade de se autotransformar para melhor. Você é um pouco deus na exata medida em que pode, por sua própria vontade e determinação, construir uma pessoa melhor.
        O caminho da perfeição é infinito, mas cada passo nesta estrada é fonte cristalina de pura felicidade.
        Ninguém é tão miserável que não possa dar um primeiro passo na direção certa, assim como ninguém é tão perfeito que já não precise caminhar.
        Apaixone-se pelo saber, devore livros, raciocine, converse com pessoas inteligentes, ouça boas músicas, olhe com atenção para as obras de arte.
        Os artistas, os filósofos, os poetas, os cientistas veem, ouvem e sentem mais que a maioria dos homens, e é mister aprender com eles.
        Pergunte, discuta, descubra, polemize, investigue, faça experiências.
        Trabalhe com o cérebro e com as mãos. Transforme o mundo em um lugar melhor para se viver.
        Não polua, proteja a natureza, conserte sua calçada, plante flores em sua casa e em sua rua.
        Lembre-se sempre de que cada atitude sua, cada movimento seu, será sempre na direção do bem ou do mal. Seu, de seus semelhantes ou de seu mundo.
        Apaixone-se pelo progresso, por sua capacidade de se transformar e de transformar o mundo.
        Uma pessoa capaz de fazer perguntas, como Aristóteles ou Platão, capaz de ouvir, como Vivaldi ou Verdi, capaz de ver a natureza, como Van Gogh ou Renoir e tantos outros, capaz de usar as mãos com a habilidade de um Rodin ou de um Michelangelo.
Refletindo com Edu!
Apaixone-se por uma pessoa que ainda vai nascer.
Apaixone-se pela tarefa de ser parteiro de si mesmo, pela missão de dar-se à luz por vontade própria.
Apaixone-se por você! Mas faça isso, enquanto é hoje...

¹ Fundador e Autor: Eduardo Campos, Técnico em Gestão Pública: Pedagogo, Esp. em Docência do Ensino Superior – PROEJA  e Educação em Saúde. Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia-GEPERUAZ/UFPA
² Fonte texto : Oriovisto Guimarães
³ Fonte imagem :http://thesecret.tv.br/leidaatracao/wp-content/uploads/2014/11/apaixone-se.jpg
Livro de Referência: Jornal Gazeta do Povo, em 06/01/2005.

Written by Eduardo Campos all rights reserved.

4 comentários:

Helena disse...

Boa noite, Eduardo! que poema lindo ! Vou tomá-lo como uma prece para esta noite. Que eu tenha sempre esse discernimento e sabedoria para proferir sempre palavras construtivas. Bjs . Boa semana!

Erika disse...

O Eduardo poetou exatamente o que sentimos...

Verônica disse...

É um reflexivo e agradável texto poético, que apetece ler e reler, é, por assim dizer, como/uma pequena "bíblia", onde podemos "beber", entender as intenções da sua "criadora", fazer parte do "projeto", dando nossas mãos para que as coisas mais simples possam, efetivamente, acontecer, construindo, todos nós um mundo mais salutar.

Anônimo disse...

Eduardo o teu texto apresenta o sinal destes novos tempos em que vivemos... em que a superficialidade dos gestos... nos conduz a uma superficialidade do pensamento... e dos afetos... Feitos de pressa e superficialidade... estes nossos atribulados e conturbados tempos, em que vivemos... As palavras de Edu... sempre assertivas e marcantes... nos dizem sempre tudo... com a sua habitual sensibilidade... Adorei este post, Eduardo!